Servidores do judiciário anunciam greve a partir da próxima segunda

Categoria resolveu entrar em greve do trabalho presencial a partir da data prevista para o início da reabertura gradual dos prédios do Tribunal de Justiça do Rio (TJRJ)

Por O Dia

Tribunal de Justiça do Rio
Tribunal de Justiça do Rio -
Rio - Servidores da Justiça Estadual do Rio decidiram, após o término das assembleias online, realizar uma greve em defesa da vida. A categoria resolveu entrar em greve do trabalho presencial a partir da segunda-feira (29), data prevista para o início da reabertura gradual dos prédios do Tribunal de Justiça do Rio (TJRJ).

O motivo da recusa é a falta de condições sanitárias necessárias para o trabalho presencial e para o atendimento ao público, o que colocaria em risco diretamente a vida dos servidores, a dos parentes idosos e familiares de grupos de risco, indiretamente, e da população em geral por causa da pandemia da Covid-19. Ainda, considerando a curva ascendente e mais de 54 mil mortos e mais de 1 milhão e 200 mil infectados, o deslocamento do serventuário, especialmente daqueles que dependem do transporte público, só agravaria o quadro catastrófico.

Contudo, a greve não significará uma paralisação no atendimento da Justiça estadual. Ou seja, os serventuários manterão os trabalhos em home office e os atendimentos emergenciais, como já estão fazendo desde o início das medidas de isolamento social, inclusive com altos índices de produtividade. Assim, o retorno só poria em risco as vidas das pessoas, tendo em vista que há trabalho e produtividade elevada.

Em nota, o Tribunal de Justiça do Rio disse que Sindjustiça-RJ entrou com ação no Conselho Nacional de Justiça (CNJ) com pedido de liminar para impugnar o Ato Normativo Conjunto 25/2020, que trata do plano de retorno programado das atividades presenciais do Judiciário. Segundo o TJ, o pedido do sindicado foi indeferido e o CNJ determinou a elaboração de um manual de segurança sanitária.

Comentários