Polícia procura traficante foragido que fez festa de aniversário em meio à pandemia de covid-19

Homem foi preso em 2015, na mesma localidade onde fez comemoração

Por O Dia

-
Rio - O Portal dos Procurados divulgou, nesta sexta-feira, cartaz para ajudar agentes da 21ª DP (Bonsucesso) e Ministério Público do Rio de Janeiro com informações que possam levar a recaptura do traficante Fábio Gonçalves da Silva, o Fabinho Bernard, de 43 anos. Ele é considerado um dos líderes do tráfico de drogas das favelas de Manguinhos e do Jacarezinho, em Manguinhos, Zona Norte do Rio de Janeiro. Ele é considerado foragido da Justiça e, contra o bandido, consta um mandado de prisão pendente.
Em 2010, a 21ª DP indiciou quatorze traficantes que circulavam com armas e drogas, no encontro das avenidas Dom Helder Câmara e dos Democráticos, em Manguinhos, que na época ficou denominada a "esquina do medo". Todos foram identificados e tiveram a prisão decretada por tráfico de drogas e associação para o tráfico. Na lista total, estava o traficante Fabinho Bernard, um dos responsáveis pela entrada de cocaína, maconha e crack nas favelas daquela região.

Em abril de 2015, numa sexta-feira, policiais da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Manguinhos prenderam Fabinho na localidade conhecida como "Favelinha". O criminoso estava num bar, quando foi reconhecido por policiais militares do Grupamento de Patrulhamento Preventivo (GPP) das comunidades Amorim/Varginha. Ele foi levado para a 21ª DP (Bonsucesso) e, em seguida, para a Cidade da Polícia, no Jacarezinho.

À época o Portal dos Procurados oferecia recompensa de R$ 1 mil reais por sua captura. Ele faz parte da quadrilha do traficante Marcelo Fernando Pinheiro Veiga, o Marcelo Piloto, preso no Paraguai em novembro de 2018, após um trabalho realizado entre a Ssinte/RJ (Sub-Secretária de Inteligência), Policia Federal e o Disque Denuncia.

Fabinho foi condenado a mais de cinco anos de prisão. No ano seguinte, a pena de Fábio foi reduzida e ele passou a cumprir pena no regime semiaberto, saindo no fim de janeiro de 2019 porém, de acordo com a polícia, ele deixou a cadeia e voltou a chefiar o tráfico de drogas em Manguinhos e Jacarezinho. Logo após sua saída foi expedido novamente um mandado de prisão pela 32ª Vara Criminal da Comarca da Capital pelo crime de tráfico.

Agora, a Polícia Civil e o Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro investigam uma festa repleta de armas em comemoração ao aniversário do traficante Fabinho Bernard, em meio à pandemia do coronavírus. O baile funk aconteceu em frente à Associação de Moradores, na sexta-feira, na localidade conhecida como Favelinha, mesmo local onde ele foi preso em 2015.

Imagens da comemoração mostram traficantes fortemente armados. Há pelo menos nove fuzis, que custariam quase R$ 1 milhão, segundo os investigadores da 21ª DP.

“Estas armas, no mercado ilegal, custam aproximadamente entre R$ 70 mil e R$ 100 mil, dependendo do modelo ou calibre, da condição da arma, se são novas ou antigas. E as armas são novas. Mas, naquele enquadramento, eu contei 8 a 9 fuzis, estamos contando R$ 800 mil a R$ 900 mil só naquele vídeo curto", afirmou o promotor Sauvei Lai.

Quem tiver qualquer informação a respeito da localização de Fabinho Bernard, e também dos traficantes que aparecem na festa, pode denunciar pelos seguintes canais: WhatsApp Portal dos Procurados (21) 98849-6099; pelo facebook/(inbox), endereço: https://www.facebook.com/procuradosrj/, pelo mesa de atendimento do Disque-Denúncia (21) 2253-1177, ou pelo aplicativo para celular – Disque Denúncia e também pelos aplicativos: https://twitter.com/PProcurados, e https://www.instagram.com/portal.dos.procurados. Em todos os casos o anonimato é garantido.

Todas as informações sigilosas serão encaminhadas para a 21ª DP e para o MP. Os policiais e promotores tentam identificar os criminosos que aparecem nas imagens da festa. Caso sejam presos, eles vão responder por tráfico de drogas, associação criminosa, porte ilegal de arma e infração de medida sanitária, por fazerem uma festa em meio à pandemia do coronavírus.

Comentários