Benedita da Silva: "O Produto Interno da Favela vai gerar emprego, renda e inclusão para nossa cidade e elevar a autoestima do povo pobre e negro".  - Câmara dos Deputados
Benedita da Silva: "O Produto Interno da Favela vai gerar emprego, renda e inclusão para nossa cidade e elevar a autoestima do povo pobre e negro". Câmara dos Deputados
Por O Dia
Benedita da Silva, deputada federal (PT/RJ) e pré-candidata do PT à Prefeitura do Rio de Janeiro:
Toda a força das favelas para a reconstrução do Rio

"Seria desumano falar sobre o futuro da cidade do Rio de Janeiro sem manifestar o meu sentimento pelas 65 mil vítimas fatais da pandemia no Brasil e quase 7 mil óbitos na cidade do Rio de Janeiro, em sua grande parte causada pela negligência criminosa do governo federal e estadual e do prefeito Crivella.

Nunca aceitaremos a "normalidade" de antes pandemia, responsável por 75,5% das vítimas de homicídio serem negras e a morte de uma mulher a cada duas horas. O projeto que não aponte para a superação dessa injusta “normalidade” não terá o apoio do povo.

A maioria dos óbitos da pandemia atinge as populações das favelas e periferias, tanto por causa de suas condições precárias de vida quanto pela negligência criminosa do governo federal e municipal.

Mas nenhuma sociedade suporta viver por muito tempo numa situação de miséria, violência e discriminação. Ser uma cidade partida não pode ser uma condenação eterna para o Rio de Janeiro.

Por isso, vamos priorizar as populações das favelas e periferias, fazendo a prefeitura do Rio tratá-los como valor econômico, social e cultural, pois estão do lado da solução e não do problema.

Para tanto desenvolveremos o que chamo de PIF (Produto Interno da Favela) para gerar emprego, renda e inclusão para a nossa cidade e elevar a autoestima do povo pobre e negro."
Publicidade
Eduardo Bandeira de Mello, ex-presidente do Flamengo e pré-candidato da Rede à Prefeitura do Rio:
Eduardo Bandeira de Mello: 'O trabalho será árduo e profissional. Reconstruir a cidade que amamos e colocar o Rio em outro patamar' - Armando Paiva
Publicidade
Precisamos colocar o Rio em outro patamar
"O Rio de Janeiro, principal referência do Brasil, se encontra em franco processo de decadência, afetando seu dinamismo econômico, ampliando a desigualdade, a capacidade de atração de negócios e turistas e a autoestima dos cariocas.
Há uma década, a expectativa de todos que amamos esta cidade era altamente positiva: Rio+20, Copa do Mundo e Jogos Olímpicos alavancariam progresso e atenuariam as desigualdades marcantes na nossa história. A exploração das reservas de gás e petróleo estimularia o desenvolvimento.
Publicidade
Mas nada aconteceu, andamos para trás. Foi nesse contexto que me foi proposto o desafio da pré-candidatura a prefeito, baseado na minha experiência na presidência do Flamengo onde, a partir da situação catastrófica, que encontramos, com a participação de uma fantástica equipe de trabalho e da compreensão da torcida, conseguiu-se uma excepcional recuperação; e nos 36 anos de BNDES, no Programa de Modernização de Prefeituras e nos departamentos de Meio Ambiente e de Saneamento.
A gestão de uma cidade é muito diferente da de um clube esportivo. Mas, como no Flamengo, requer profissionalismo, austeridade, responsabilidade, competência gerencial e exemplos positivos.
Publicidade
Uma equipe altamente qualificada para executar o processo de reconstrução do Rio tem trabalhado conosco. E já percebi que a população está mobilizada para conter o processo de decadência do Rio."
Paulo Rabello de Castro, economista e ex-presidente do BNDES é o candidato do PSD à Prefeitura do Rio:
Publicidade
Paulo Rabello de Castro: "O recomeço será do zero. Não basta prometer gestão e competência. Coragem, criatividade, exemplo, ética e firmeza para refazer o Rio" - Fernando Frazão / Agência Brasil
Hora da virada e de resgatar o melhor do município
Publicidade
"Nasci num outro Rio de Janeiro, antiga Capital do Brasil, curtida por artistas, cientistas e desportistas do mundo. Aquele Rio acabou. Mataram também o Estado da Guanabara, a cidade-estado. Fomos juntados ao vizinho Estado do Rio e nossa maior riqueza - o petróleo - virou a pior desgraça nas mãos dos bandidos de gravata. Em vez de ajudar o Rio, os políticos o drogaram e dele fizeram o estado mais endividado do Brasil, quebrado e humilhado.
Conduzir o Rio para sua virada não é tarefa pra qualquer Mané. O recomeço será do zero. Não basta prometer gestão e competência. É muito mais. Coragem, criatividade, exemplo, ética e firmeza para refazer o Rio. O resgate há de ser baseado na única riqueza que os corruptos dessa cidade não conseguiram arrastar para suas latrinas: beleza, cordialidade, talento, ciência, arte e história. Sobrou-nos o suficiente para surpreender os pessimistas.
Publicidade
O sistema eleitoral do país não permite candidaturas independentes. Continuarei disponível para o que der e vier, pois passei da idade do medo. Nosso partido, o PSD, marchará com o corajoso deputado Hugo Leal. Ajudarei como puder. Um conselho aos cariocas: o Rio não pode se repetir. Vamos escalar uma equipe nova. Vamos votar com paixão e indignação! A sabedoria da população carioca haverá de nos surpreender."