Suspeito de integrar milícia é preso em operação da Polícia Civil com Inea na Barra da Tijuca

Ação é contra despejo de esgoto e poluição nas lagoas da Barra da Tijuca

Por O Dia

Suspeito de integrar milícia é preso em operação da Polícia Civil e do Inea
Suspeito de integrar milícia é preso em operação da Polícia Civil e do Inea -
Rio - A Delegacia De Proteção ao Meio Ambiente e o Instituto Estadual do Ambiente (Inea) realizam, na manhã desta sexta-feira, uma operação contra despejo de esgoto e poluição de condomínios, empresas de grande porte e residências nas lagoas da Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio. A ação ainda conta com o apoio da Secretaria de Estado do Ambiente e Sustentabilidade (Seas) e da Superintendência Integrada de Combate aos Crimes Ambientais (Sicca). 

Galeria de Fotos

Agentes do Inea fazem ação contra despejo de esgoto em lagoas da Barra Divulgação / Inea
Agentes do Inea fazem ação contra despejo de esgoto em lagoas da Barra Divulgação / Inea
Agentes realizam operação no canal da Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio Estefan Radovicz / Agência O Dia
Agentes realizam operação no canal da Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio Estefan Radovicz / Agência O Dia
Suspeito de integrar milícia é preso em operação da Polícia Civil e do Inea Divulgação / Polícia Civil
Miliciano é preso em operação contra despejo ilegal de esgoto nas lagoas da Barra Reprodução / TV Globo

Em uma ação paralela dos agentes da DPMA, um homem, identificado como Marcus Vínicius, foi preso por suspeita de integrar a milícia da Ilha da Gigóia, apontada como responsável pela exploração imobiliária na região, que promove a construção clandestina de prédios e causa degradação ambiental. Com ele, foram apreendidas armas de fogo, toucas ninjas, faca, celulares e diversas anotações, que serão analisadas pela equipe policial.
Os agentes do instituto e os policiais fazem inspeções em barcos e a pé, para apurar as denúncias de despejo irregular de esgoto. Segundo o Inea, as denúncias chegaram principalmente pela Linha Verde do Disque-Denúncia e pela Ouvidoria do órgão.
Segundo o Inea, até o momento, quatro locais foram vistoriados. Destes, um foi autuado por despejo irregular de efluente sanitário na lagoa. A operação prosseguirá nas próximas semanas.

Comentários