Wilton Vacari, dono de conversível do Leblon é engenheiro da Petrobras - Reprodução / Instagram
Wilton Vacari, dono de conversível do Leblon é engenheiro da PetrobrasReprodução / Instagram
Por O Dia
Publicado 28/09/2020 11:59 | Atualizado 28/09/2020 20:38
Rio - Um vídeo, que circulou por diversas redes sociais no último sábado, mostra duas mulheres de biquíni dançando em um conversível na Rua Dias Ferreira, no Leblon, na Zona Sul do Rio. O episódio gerou confusão após uma uma arquiteta, sentada em um restaurante, atirar garrafas dentro do veículo. O homem, Wilton Vacari, que dirigia o veículo conversível falou sobre o caso e contou que é engenheiro da Petrobras em entrevista ao jornalista Leo Dias, do Metrópoles.

Galeria de Fotos

Mulheres de biquíni causam confusão no Leblon Reprodução vídeo
Scheila, uma das mulheres que estava no carro e foi atingida por uma garrafa de água em briga no Leblon Reprodução / Instagram
Scheila, uma das mulheres que estava no carro e foi atingida por uma garrafa de água em briga no Leblon Reprodução / Instagram
Scheila, uma das mulheres que estava no carro e foi atingida por uma garrafa de água em briga no Leblon Reprodução / Instagram
Scheila, uma das mulheres que estava no carro e foi atingida por uma garrafa de água em briga no Leblon Reprodução / Instagram
Scheila, uma das mulheres que estava no carro e foi atingida por uma garrafa de água em briga no Leblon Reprodução / Instagram
Priscilla Dornelles, uma das mulheres que estava no carro em briga do Leblon Reprodução / Instagram
Priscilla Dornelles, uma das mulheres que estava no carro em briga do Leblon Reprodução / Instagram
Priscilla Dornelles, uma das mulheres que estava no carro em briga do Leblon Reprodução / Instagram
Wilton Vacari, dono de conversível do Leblon é engenheiro da Petrobras Reprodução / Instagram
Wilton Vacari, dono de conversível do Leblon é engenheiro da Petrobras Reprodução / Instagram
Wilton Vacari, dono de conversível do Leblon é engenheiro da Petrobras Reprodução / Instagram
Wilton Vacari, dono de conversível do Leblon é engenheiro da Petrobras Reprodução / Instagram
Wilton Vacari, dono de conversível do Leblon é engenheiro da Petrobras Reprodução / Instagram
Wilton Vacari, dono de conversível do Leblon é engenheiro da Petrobras Reprodução / Instagram
Wilton Vacari, dono de conversível do Leblon é engenheiro da Petrobras Reprodução / Instagram
"Só pra constar, sou engenheiro da Petrobras concursado, não pago mulher, minhas amigas são mulheres que trabalham, e se sustentam, não banco ninguém porque não preciso disso", falou ele. 
Publicidade
Wilton também falou que irá processar a arquiteta que agrediu a amiga dele atirando uma garrafa contra ela e gravou um vídeo ofendendo as mulheres que estavam no carro. 
"Os vídeos estão circulando nos meus grupos de trabalho e isso mancha minha imagem perante a minha empresa. Vou processar a arquiteta e o homem covarde que agrediu Sheila dentro do meu carro. Fui lesado. Até minha avó recebeu esses vídeos”, afirmou o homem.
Publicidade
Resposta nas redes sociais
Após a repercussão da confusão da última sexta-feira no Leblon, na Zona Sul do Rio, as duas mulheres que estavam no conversível usaram as redes sociais neste domingo para desabafar sobre o episódio. O vídeo que mostrava Scheila e Priscilla Dornelles de biquíni em um conversível pela Rua Dias Ferreira até que a arquiteta Aline Araújo arremessou uma garrafa de água dentro do veículo foi compartilhado diversas vezes. 
Publicidade
Em seu perfil no Instagram, Scheila afirmou que o vídeo flagrou apenas parte da confusão. Ela diz ter sido xingada de "vagabunda" por Aline antes.

"Quando passamos numa rua mais movimentada, escuto uma garota falar assim: 'vagabunda', olho para o lado, vejo ela com cara de deboche me mandar um beijo. Achei desnecessário, dei até risada, achei engraçado, pensei 'será que ela quer vir até aqui, quer participar?'. E continuamos", contou a jovem.
A arquiteta disse, neste domingo, que as duas estavam se beijando e ela estava com crianças e idosos na mesa do restaurante. "Nós vivemos em uma sociedade e temos que ter respeito pelo outro", comentou Aline em uma publicação que foi removida das redes sociais. Ela classificou a atitude das jovens como "atentado ao pudor".
Publicidade
"O carro andou um pouquinho. Não satisfeita, ela taca uma garrafa d'água nas minhas costas, bem na hora que eu estava agachada (...) Tomei a garrafada nas costas, olhei diretamente para ela, porque eu já sabia que era ela, porque ela já tinha mexido comigo. Ela, com a maior cara de deboche, me manda outro beijo. Como eu não tenho sangue de barata, minha reação foi pular do carro", acrescentou Scheila.