Matéria Salva!

Agora você pode ler esta notícia off-line

Matéria removida da seção links salvos
Publicidade

Flordelis é intimada a colocar tornozeleira eletrônica em 48 horas

Deputada federal é acusada de ser mandante do assassinato do próprio marido, o pastor Anderson do Carmo, em junho do ano passado

A deputada Flordelis durante coletiva de imprensa - Luciano Belford
A deputada Flordelis durante coletiva de imprensaLuciano Belford
Por O Dia
Rio - A deputada federal Flordelis (PSD) foi intimada, nesta terça-feira, a se apresentar na Secretaria de Administração Penitenciária (Seap) para colocar a tornozeleira eletrônica em 48 horas. A parlamentar recebeu a intimação às 19 horas, fora do horário do expediente do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJRJ), em sua casa na Região Oceânica de Niterói.

Galeria de Fotos

A deputada federal Flordelis em depoimento Fernando Frazão/Agência Brasil
Flordelis continua nos grupos do PSD Michel Jesus / Câmara dos Deputados
Flordelis é acusada de ser a mandante do assassinato do marido, o pastor Anderson do Carmo Arquivo Pessoal
Flordelis usará tornozeleira Divulgação
Flordelis Reprodução do Facebook
Flordelis Divulgação
A deputada Flordelis durante coletiva de imprensa Luciano Belford
A deputada Flordelis foi indiciada por homicídio triplamente qualificado. Luciano Belford
Flordelis é apontada como mandante intelectual do assassinato do ex-marido Luciano Belford
No final de agosto, a deputada foi indiciada como mandante do assassinato do próprio marido, o pastor Anderson do Carmo, que aconteceu na garagem da casa da família, em Niterói, em junho de 2019, mas não pode ser presa em razão de sua imunidade parlamentar.
Publicidade
As medidas cautelares foram solicitadas pelo Ministério Público (MPRJ) e decididas pela juíza Nearis dos Santos Carvalho Arce, titular da 3ª Vara Criminal de Niterói, no último dia 18 de setembro.
Publicidade
A decisão pelo monitoramento eletrônico aconteceu, segundo a decisão judicial, devido à dificuldade de localização de Flordelis, tanto para a citação no processo, quanto para sua notificação pela Câmara dos Deputados, além da intimidação à uma testemunha após terem jogado um explosivo no quintal dela.

Você pode gostar
Comentários
mais notícias