Portal dos Procurados divulga cartaz pedindo informações sobre a morte do candidato a vereador Mauro Miranda - Divulgação
Portal dos Procurados divulga cartaz pedindo informações sobre a morte do candidato a vereador Mauro MirandaDivulgação
Por Anderson Justino
Publicado 11/10/2020 08:47 | Atualizado 11/10/2020 12:46
Rio - A Baixada Fluminense registrou, neste sábado, o assassinato do segundo candidato a vereador de Nova Iguaçu, no mês de outubro. Domingos Barbosa Cabral (DEM), de 57 anos, foi morto a tiros, por volta das 18h30, no bairro Cabuçu.
De acordo com informações, o politico estava em um bar quando foi baleado por homens encapuzados. Domingos Cabral era conhecido como Domingão. 

O Portal dos Procurados, do Disque Denuncia, divulgou neste domingo um cartaz para receber informações que ajudem a polícia nas investigações da morte do político.Os telefones para contato são (21) 98849-6099; (21) 2253-1177 ou 0300-253-1177.

A Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF) investiga o caso. Agentes da especializada estiveram no local do crime ainda na noite de sábado.Ainda não há a informação de crime político.

A Polícia Militar informou que o 20º BPM (Mesquita) foi acionado para uma ocorrência com uma pessoa baleada na UPA do Cabuçu. No local, foi constatado que set tratava do candidato.

MORTES

No dia primeiro de outubro, Mauro Miranda da Rocha, de 41 anos, candidato a vereador, em Nova Iguaçu, pelo Partido Trabalhista Cristão (PTC), foi morto a tiros. Ele trabalhava como segurança de um supermercado e estava acompanhado de dois amigos que também foram atingidos pelos disparos. O politico foi baleado na cabeça, braço e peito.

Em setembro, a pré-candidata a vereadora Sandra da Silva Ferreira, mais conhecida como Tia Sandra, foi encontrada morta em Magé, na Baixada Fluminense. O corpo de Sandra foi encontrado dentro do Rio Roncador, no bairro Barbuda.
Publicidade
Segundo a plataforma Fogo Cruzado, 5 políticos foram mortos a tiros na Região Metropolitana do Rio, em 2020. 
SUSPEITA DE ENVOLVIMENTO COM A MILÍCIA 
Publicidade
O candidato a vereador Domingos Barbosa Cabral foi detido em julho deste ano por suspeita de envolvimento com a milícia que atua nos bairros Palhada e Valverde, em Nova Iguaçu. Nas mesma data, seu irmão, André Cabral, por suspeita de chefiar o grupo paramilitar. 
Domingos foi detido em flagrante por porte ilegal de arma de fogo. Ele estava armado com uma pistola 9 milímetros e um carregador. Ele estava acompanhado do filho, que também estava armado e foi preso. 
Publicidade
Na casa do político, os agente encontraram material para instalação de "Gatonet” e cadernetas com anotações referente ao serviço ilegal.
Domingão disputou as eleições municipais de 2016, mas não foi eleito. Com os votos, conquistou uma vaga de suplente na casa legislativa de Nova Iguaçu.