Rio de Janeiro - RJ  - 27/10/2020 - Geral - Hospital Federal de Bonsucesso, na Zona Norte do Rio, que foi atingido por incendio na manha desta terça-feira -  Foto Reginaldo Pimenta / Agencia O Dia - Reginaldo Pimenta / Agencia O Dia
Rio de Janeiro - RJ - 27/10/2020 - Geral - Hospital Federal de Bonsucesso, na Zona Norte do Rio, que foi atingido por incendio na manha desta terça-feira - Foto Reginaldo Pimenta / Agencia O DiaReginaldo Pimenta / Agencia O Dia
Por O Dia
Rio - As atividades do Hospital Federal de Bonsucesso, atingido por um incêndio na manhã de terça-feira vão retornar nos prédios 3, 4, 5 e 6 a partir da próxima quarta-feira, dia 4 de novembro. Consultas ambulatoriais, sessões de quimioterapia, entrega de medicamentos oncológicos, realização de exames laboratoriais, retirada de resultados e doação de sangue estão entre as atividades que voltam semana que vem. Emergências, cirurgias, internações, hemodiálise e exames de imagens, que funcionavam no prédio afetado, permanecem suspensos temporariamente até a conclusão dos reparos necessários.
A decisão pela reabertura foi tomada em reunião entre o secretário de Saúde, Carlos Alberto Chaves, o diretor-geral do hospital, Edson Santana, e representantes do Ministério da Saúde e do quadro de funcionários do HFB. Informações extraoficiais da reunião apontam que o incêndio atingiu apenas um dos três almoxarifados da unidade, o almoxarifado C, que tinha fraldas e gazes. O fogo comprometeu a parte elétrica, e o prédio está sem luz. Segundo uma servidora do Hospital de Bonsucesso, que preferiu não se identificar, a reestruturação do prédio 1, afetado pelo incêndio, deverá começar a partir da terça-feira, dia 3 de novembro.
Publicidade
As partes do térreo e do subsolo, principais focos do fogo de terça-feira, dia 27, vão passar por obras assim que houver a liberação do laudo técnico da Defesa Civil, para identificar quais partes da estrutura ficaram comprometidas. Durante a reunião representante dos funcionários usaram o espaço para apresentar propostas que não penalizassem os serviços ofertados à população.
"Todos querem que os serviços fiquem interrompidos pelo mínimo de tempo possível. É o essencial para a população que vive no entorno e não queremos que isso se perca", afirmou a servidora. A proposta apresentada pelos funcionários propõe o remanejamento de funcionários concursados ou contratados pelo Ministério Público do prédio 1 para outras unidades dentro do hospital, como os prédios 2 (maternidade), 3 (oncologia) e 6 (ambulatório). Funcionários contratados da RioSaúde poderiam ser realocados dentro da rede gerida pela empresa municipal.
Publicidade
Os funcionários apresentam, ainda, um apelo à Superintendência Estadual do Rio de Janeiro do Ministério da Saúde: "Solicitamos ao superintendente que se sensibilizem com os servidores, estamos muito abalados. Graças a deus, tivemos uma retirada estratégica perante o tamanho que poderia ter tido. Estamos apenas pleiteando a realocação, e cabe às chefias decidirem se vão acatar ou não".
O Ministério da Saúde informa que a apuração dos fatos segue em andamento e, em paralelo, será feito o mapeamento dos problemas deixados pelo incidente. Além disso, a pasta vai verificar junto à Superintendência Estadual no Rio de Janeiro e ao Hospital Federal de Bonsucesso a necessidade orçamentária extra para apoiar as soluções e obras para o restabelecimento pleno do prédio e estruturas afetadas.

Ainda segundo a pasta, o Centro de Atenção à Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente, localizado no prédio 2 do complexo hospitalar, passará por avaliação técnica para o retorno dos atendimentos.
Publicidade