A modelo Eloisa Pinto Fontes - Reprodução/Instagram
A modelo Eloisa Pinto FontesReprodução/Instagram
Por Gabriel Sobreira
Rio - Depois de 22 dias internada no Instituto Philippe Pinel, na Zona Sul do Rio, a modelo Eloisa Fontes, de 26 anos, já está em casa, em Piranhas (AL), com ajuda de uma vaquinha. A jovem teve alta nesta quarta-feira, às 17h, e, na madrugada de quinta-feira, pegou um ônibus com a mãe, Luciene Santos. Elas chegaram ao destino às 13h desta sexta-feira.
Publicidade
"Eloisa e a mãe, dona Luciene, foram recebidas na rodoviária com flores e cestas de presentes. A dona Luciene mandou um áudio agradecendo e fotos do pessoal as recebendo. Arrecadaram roupas, deram cesta com produtos de beleza, coisas lindas. Eu acredito piamente que a Eloisa pode e tem todas as chances de se recuperar. Ela não está no estágio profundo de decadência física, e esse acolhimento com certeza vai ajudar", diz Assis, que optou por não divulgar as imagens da amiga sendo recepcionada.
Segundo ele, o governo alagoano e uma rádio da região de Piranhas se uniram para levantar o dinheiro para a viagem da mãe e o retorno das duas para a terra natal. "Teve muita gente que contribuiu. Foi muito emocionante. Conseguimos mais de R$ 1.600. Compramos as passagens por R$ 800 e o restante entregamos para a dona Luciene”, afirma o amigo. "Me impressionou o sistema de acolhimento de Alagoas. O governo local tem programa 'Anjos da Paz', vinculado à Secretaria de Estado de Prevenção Violência, e estão ajudando em todos as questões práticas para que a Eloisa siga com acompanhamento médico por lá", completa Francisco.
Publicidade
ALTA MÉDICA COM MUITA EMOÇÃO
A alta médica foi, segundo Assis, muito emocionante, pois marcou o encontro de Eloisa com a mãe, Luciene Fontes. "Elas se abraçaram. Foi muito comovente. A dona Luciene chorou de tão emocionada. A Eloisa estava bem fisicamente respondendo a medicação prescrita pelos médicos, mas ainda ficava com o raciocínio um pouco lento", afirma o amigo.
Publicidade
Apesar de ainda levar um tempo para concatenar as ideias, Eloisa não perdeu o humor. "Quando me viu, a Eloisa ainda brincou: 'vai pagar aquele pastel com caldo de cana?'", lembra Francisco, que levou mãe e filha para casa dele e da mulher para que pudessem tomar banho e aguardar a hora da viagem.
"A Eloisa está bem, na medida do possível. Claro que se ela não tomar os remédios prescritos, as coisas começam a ficar complicadas de novo. Mas temos fé de que isso não acontecerá", torce.
Publicidade
CARREIRA INTERNACIONAL INCERTA
Quando questionado se a modelo demonstrou alguma vontade de retomar a carreira internacional, Assis foi categórico. "Isso acho que só o tempo pode dizer. Mas ela não parece muito motivada. Acho que não (retoma). Falei para ela: 'você tem possibilidade de trabalhar em outra área, arrumar um emprego na sua cidade que lhe satisfaça'. Ela fala bem inglês, pode ser professora de inglês. A cidade de Piranhas tem vocação turística, pois foi lá onde morreu Lampião. A cidade tem um monte de pousadas, passeios de catamarã no Rio São Francisco. Vai fazer muito bem para a Eloisa", deseja Assis.