A floricultura Rosa Linda Botafogo, no Cemitério São João Batista, está entre os estabelecimentos que fazem entregas para clientes que preferem não sair de casa, mas que desejam manter a tradição do Dia de Finados - Divulgação
A floricultura Rosa Linda Botafogo, no Cemitério São João Batista, está entre os estabelecimentos que fazem entregas para clientes que preferem não sair de casa, mas que desejam manter a tradição do Dia de FinadosDivulgação
Por Gabriel Sobreira
Rio -  Em tempos de pandemia, os clientes que não querem arriscar ir ao cemitério no Dia de Finados e desejam manter a tradição, contam a ajuda de algumas floriculturas que fazem entregas nos túmulos dos seus entes queridos.
“Sempre fazemos isso para um grupo menor de clientes, uns 10 fixos, que sempre pedem para irmos até a sepultura, pois eles possuem dificuldade de locomoção. Mas também podemos fazer esse tipo de entrega para quem desejar. Sem qualquer acréscimo no serviço. Estamos com um quiosque no São João Batista, mas entregamos no Caju e Catumbi também”, conta a comerciante Adriana Soares, de 36 anos, da Rosa Linda Botafogo, na Zona Sul do Rio.
Publicidade
Do outro lado da cidade, no bairro de Inhaúma, na Zona Norte, Janete Silva, proprietária da Roseira de Inhaúma, conta que nunca fez tal serviço de entrega, mas que não teria qualquer problema se algum cliente fizesse tal pedido. “A ideia é interessante”, afirma ela, que este ano não aumentou a compra de flores para o Dia de Finados.
“A expectativa não é nada boa. A cada ano que passa fica mais fraco. As pessoas não se importam mais e os mais novos não continuam com essa tradição. Foi-se o tempo em que a Guarda Municipal chegava a fechar a rua. Hoje em dia, parece um dia comum, um feriado sem muito significado”, lamenta ela, aos 60 anos, sendo 36 à frente da floricultura.
Publicidade
Para Adriana Soares, da Rosa Linda Botafogo, o movimento em tempo de pandemia diminuiu bastante. “Estamos esperando pouca gente para amanhã (segunda-feira). Tanto que reduzimos nossa encomenda em 75%”, conta ela. Quando questionada sobre o tipo de flor que mais sai nessa época, a comerciante responde sem titubear. "É o Crisântemo. Porque dura mais", entrega, aos risos.
Dia de Finados: Dom Orani celebra missa e acende pira para a cura da covi-19
Pira Chama da Esperança, em homenagem às vítimas e aos cientistas que buscam a cura da Covid-19
Pira Chama da Esperança, em homenagem às vítimas e aos cientistas que buscam a cura da Covid-19Divulgação
Publicidade
Rio - Dom Orani Tempesta vai celebrar uma missa e acender uma pira, em homenagem às vítimas da covid-19 e os cientistas na busca da vacina contra a doença, no Dia de Finados (2), no Cemitério da Penitência, no Caju, Zona Norte do Rio. Para evitar aglomeração por conta da pandemia do coronavírus, a missa, programada para às 7h30, e os demais eventos serão transmitidos pelas redes sociais do cemitério.
Para iluminar os cientistas nos estudos da vacina contra a covid-19, o cemitério terá uma pira batizada de "Chama da Esperança". Com o projeto arquitetônico do Coletivo Crisa Santos, o fogo da obra tem como simbolismo iluminar os pesquisadores a chegarem à descoberta para esse mal.
Publicidade
A pira, que será acesa pelo cardeal, só será apagada quando a vacina contra a doença for descoberta e reconhecida pela a comunidade e órgãos científicos. Uma vela com a Chama da Esperança será entregue a pesquisadores da Fundação Oswaldo Cruz após a missa das 11 horas. A presidente e o pesquisador da Fiocruz, Nísia Trindade e Fábio Russomano estarão presentes.
Dom Orani também irá batizar o Jardim in Memoriam, o cardeal vai plantar uma muda de jequitibá-açu, espécie em extinção. O ato será em memória dos mortos e pela preservação do ambiente.

Na sequência, os coordenadores da campanha de apoio a pessoas enlutadas A Vida Não Para, a assistente social Márcia Torres e o psicólogo Paulo Victor, vão comandar a revoada de 200 balões, contendo mensagens enviadas por internautas através das redes sociais do cemitério.
Publicidade
Os recados serão escritos em pequenos cartões fixados aos balões. A ação será transmitida online pelas redes sociais do Crematório e Cemitério da Penitência. “O ato simboliza a gratidão por todos aqueles que perdemos. No momento que soltarmos os balões, os autores das mensagens devem relembrar os momentos felizes e tudo que aprenderam com o seu ente querido. Além de agradecer pelo legado e amor infinito, como o céu”, explica Márcia.
PROGRAMAÇÃO DE FINADOS
Publicidade
Para evitar aglomeração, a programação presencial de finados está restrita, mas terá transmissão online pelo Facebook, Instagram e Youtube do Cemitério da Penitência.
7h30 - Missa de Finados com o Cardeal Orani Tempesta. Ao final da missa ocorrerá o plantio de uma árvore em memória aos que partiram e pela preservação ecológica brasileira.
Publicidade
8h50 - Acendimento da Chama da Esperança por Dom Orani Tempesta
8h55 – Inauguração do Jardim In Memoriam por Dom Orani Tempesta
Publicidade
10h - Revoada de balões da campanha A Vida Não Para
11h – Missa com Padre Pedro Paulo em homenagem aos pesquisadores da Fiocruz que desenvolvem a vacina contra a Covid-19. Após a missa, o representante da Fiocruz acenderá uma vela na pira da Esperança e levará a chama para a Fiocruz.
Publicidade
14h - Live com Fabrício Carpinejar e Débora Tessler: lançamento do Vídeo Iluminando Memórias – a maior homenagem de velas do mundo (somente através de transmissão online)
15h – Missa com Padre Pedro Paulo