O PM Derinalto Cardoso dos Santos deixa esposa e dois filhos - Reprodução / Internet
O PM Derinalto Cardoso dos Santos deixa esposa e dois filhosReprodução / Internet
Por O Dia
Rio - A polícia prendeu, nesta quinta-feira (10), mais um homem suspeito de ter participado do assalto a filial da Casa e Vídeo em Mesquita, na Baixada Fluminense, que resultou no assassinato do cabo PM Derinaldo Cardoso dos Santos. Já são quatro presos dessa ocorrência.

O policial militar foi morto no último dia 4 de dezembro. O cabo Cardoso e seu companheiro de equipe tentavam evitar um assalto. Ele estava na entrada da loja e foi baleado com um tiro na cabeça no momento que o colega de farda abordava um suspeito. Um assaltante foi preso no dia do crime.

O homem que aparece nas imagens atirando no policial foi preso no último domingo (6). Jonathan Santos Targino foi localizado em um esconderijo na comunidade Vila Kennedy, na Zona Oeste do Rio. Um terceiro suspeito foi preso no mesmo dia.

Em depoimento à Polícia Civil Targino confessou a autoria do disparo. A delegada Bárbara Lomba, titular da 54ª DP (Belford Roxo), investiga o caso.

O CASO

O cabo Cardoso foi baleado na cabeça ao tentar impedir uma tentativa de assalto. Ele foi socorrido e levado para o Hospital Geral de Nova Iguaçu, em Nova Iguaçu. Ele passou por cirurgia, mas não resistiu ao ferimento.

No dia do assalto, outras duas pessoas também foram baleadas.

Cardoso, que completaria dez anos na corporação, era conhecido por gravar vídeos motivacionais e divulgar em grupos da PM. O policial deixa esposa e dois filhos.