Paes descartou o fechamento parcial das escolas, por áreas ou regiões mais afetadas. Ele defende que as escolas devem ser as primeiras a abrir e as últimas a fechar
Paes descartou o fechamento parcial das escolas, por áreas ou regiões mais afetadas. Ele defende que as escolas devem ser as primeiras a abrir e as últimas a fecharReginaldo Pimenta / Agencia O Dia
Por O Dia
Rio - O prefeito do Rio, Eduardo Paes, reafirmou que não planeja fechar as escolas da rede municipal neste momento para conter o avanço da covid-19 na capital fluminense. Ele voltou a dizer que as escolas serão sempre as primeiras a abrir e as últimas a fechar, se for necessário. A declaração foi feita durante a inauguração da escolinha de canoagem do Parque Olímpico de Deodoro, na manhã deste sábado (13).
Paes também afirmou que descarta o fechamento parcial das escolas, por áreas ou regiões mais afetadas, reforçando que a rede municipal de ensino está funcionando com um plano de contingência. “As escolas são as primeiras a abrir e as últimas a fechar, simples assim! Então antes de fechar escola, fecha bar, restaurante, shopping, comércio, loja, jornal, prefeitura, aí fecha escola. Então, são as primeiras a sair e as últimas a fechar”, concluiu.
Publicidade
Governador Cláudio Castro deve tomar decisão sobre suspensão de aulas presenciais
Castro anunciou durante coletiva de imprensa nesta sexta (13) que vai tomar uma decisão sobre a interrupção das aulas presenciais na próxima semana. Ele contrariou a decisão do seu secretário de Educação, Comte Bittencourt, que tinha recomendado fechar as escolas estaduais e da rede privada correspondente ao Ensino Fundamental II e Ensino Médio por conta da curva de contágio no Estado.
Publicidade
Por telefone, o governador ligou para o secretário e disse que os dois decidiriam juntos como seria feito o planejamento para uma possível decisão, e que ele consideraria também a posição dos prefeitos antes de anunciar qualquer medida.
Prefeito disse que não cobrará comprovante de residência para vacinação
Publicidade
Paes também recorreu às redes sociais nesta manhã para defender que o Rio vai continuar não exigindo comprovante de residência para vacinação contra a covid-19 nos pontos de imunização da cidade.
“Acreditamos no SUS. Não vamos pedir comprovante de residência pra velhinho poder vacinar. E quem mora em lugares que não tem endereço? E quem mora na rua? A realidade é cruel. E a vacina é um direito de todos! Sem chance disso de cadastro prévio”, disse o prefeito em postagem. 
Publicidade
Paes também acrescentou que a prioridade do município é seguir imunizando os mais idosos.