Placa em homenagem a Marielle Franco foi instalada em frente à Câmara Municipal do Rio
Placa em homenagem a Marielle Franco foi instalada em frente à Câmara Municipal do RioReginaldo Pimenta / Agencia O Dia
Por Lucas Cardoso
Rio - Ainda mais presente. A vereadora Marielle Franco, assassinada há três anos, ganhou uma placa em sua homenagem na praça da Cinelândia, em frente à Câmara Municipal do Rio de Janeiro, no Centro. O ato aconteceu neste domingo e contou com a presença do prefeito Eduardo Paes, do deputado federal Marcelo Freixo, a Secretária Municipal de Políticas e Promoção da Mulher, Joyce Trindade, e a família da parlamentar participaram da solenidade. 
A placa traz o nome da vereadora e os dizeres: "Mulher negra, favelada, LGBT e defensora dos direitos humanos. Assassinada brutalmente em 14 de março de 2018 por lutar por uma sociedade mais justa", diz o monumento. Anielle Franco (irmã de Marielle), Marinete da Silva (mãe), Antônio Francisco (pai de marielle) e Luyara Santos (filha) participaram da homenagem. 
Publicidade
"São três anos do assassinato de Marielle. Um assassinato brutal. É importante que a gente identifique quem foram os mandantes desse assassinato. Acho que aqui também é um símbolo do momento que está atravessando o nosso país. A Marielle foi minha adversária política enquanto ela esteve em atividade, mas a diferença de pensamento, ideologia, crença e visão de mundo não pode tirar da gente o que é mais importante, que é o respeito ao próximo, o amor, o respeito ao direito humano. Você pode até pensar diferente, mas ninguém merece ser assassinado pelo que pensa e faz. Isso aqui é uma homenagem singela mas muito simbólica. Representa a possibilidade das pessoas divergirem democraticamente", disse o prefeito Eduardo Paes. 
Emocionada, a mãe de Marielle, dona Marinete da Silva, manteve a confiança na conclusão do caso e identificação dos responsáveis. "Essa resposta é o que a gente busca todos os dias. Perguntando e não tendo resposta. Acho que é fundamental que os órgãos competentes encontrem. Eu tenho que confiar neles. Mesmo com todas as polêmicas que já tiveram, tanto da DH quanto do Ministério Público, eu tenho esperança de que o crime será solucionado. Eu sigo confiante. Não tem como eu não seguir", disse a filha da vereadora. 
Publicidade
Placa quebrada
Questionado sobre a permissão recebida pelo deputado federal Daniel Silveira (PSL) para cumprir prisão preventiva em domicílio, o ex-colega de partido de Marielle e deputado federal pelo PSOL, Marcelo Freixo, disse que o mundo precisa de mais Marielles. 
Publicidade
"O recado que damos ao mundo com essa placa, é que queremos mais Marielles, vivas, potentes, falando. E não aqueles que rasgam, aqueles que se alimentam de violência. Acho que o deputado que consegue, hoje, a prisão domiciliar, que a apolítica é muito maior do que o que ele já fez até hoje. Torço para que um dia ele consiga compreender a grandeza de quem foi a Marielle e do seu papel. Um grande homem não se faz com músculos, se faz com dignidade", disse o parlamentar. 
 
Publicidade