Domingo de Ramos na Igreja dos Capuchinhos,na Tijuca. Na foto, Naima Brem e Marcelo Ferreira.
Domingo de Ramos na Igreja dos Capuchinhos,na Tijuca. Na foto, Naima Brem e Marcelo Ferreira.Estefan Radovicz / Agencia O Dia
Por Thuany Dossares
Rio - Em meio a tempos difíceis, marcados pela pandemia da Covid-19, a fé é para muitos uma esperança de dias melhores. Neste Domingo de Ramos, a tradicional missa que abre a Semana Santa, foi celebrada, mas com igrejas mais vazias pelo segundo ano seguido e ainda com protocolos sanitários e distanciamento social. As cerimônias católicas também estavam sendo transmitidas pela internet.
Na Basílica de São Sebastião dos Capuchinhos, na Tijuca, Zona Norte do Rio, foram realizadas cinco missas, entre 7h e 18h30, com público em capacidade reduzida e transmissão pelas redes sociais da igreja. O Frei Jorge de Oliveira, reitor e pároco da Basílica, explica as celebrações presenciais foram feitas seguindo todos os protocolos, mas que orienta as pessoas a ficarem em suas casas.
Publicidade
"A importância dessa data é que a ressurreição é o centro da nossa fé. A arquidiocese permitiu a semi presencialidade e nós estamos fazendo higienização diária e temos todo cuidados com distanciamento, máscara e álcool em gel. Nosso foco não é convocar a comunidade e orientamos que as pessoas, principalmente idosos e quem tem comorbidades, permaneçam em suas casas, para não colocar ninguém em risco. Estamos nas redes sociais também porque foi a forma que encontramos para estar nas casas, porque precisamos estar com as famílias. As pessoas não podem se sentir abandonadas ou esquecidas vivendo no isolamento. Fazemos parte da igreja e vivenciamos a nossa fé", declarou o Frei Jorge de Oliveira.
A missa que iniciou às 8h30 deste domingo, na Basílica dos Capuchinhos, contou com a presença de cerca de 20 fiéis. Entre eles, estavam o casal Marcelo Ferreira e Naima Brem. Moradores do Estácio, eles aproveitaram a ida ao bairro vizinho para poder agradecer e, principalmente, interceder pelos infectados pelo coronavírus.
Publicidade
"Não somos dos católicos mais praticantes, que frequentam semanalmente, mas estávamos passando e resolvemos entrar para elevar o pensamento em Deus e pedir essa situação melhore. Pedimos que as pessoas que estão internadas com covid ou em filas de leito aguardando atendimento, saiam logo desta situação. Agradecemos também por estar com saúde e emprego, porque também está difícil", falou o consultor de TI, Marcelo, de 45 anos.
Já a Arquidiocese do Rio de Janeiro, realizou a missa oficial às 11h, na Catedral de São Sebastião, com a presença de fiéis. A celebração foi conduzida pelo Cardeal Orani e também foi transmitida.