PMs teriam realizado operações no local em veículos particulares
PMs teriam realizado operações no local em veículos particularesReprodução/Redes Sociais
Por O Dia
Rio - Um comunicado atribuído a traficantes do bairro Engenho Pequeno, em São Gonçalo, na Região Metropolitana do Rio, estabelece regras para a circulação de motoristas na região. As normas foram definidas depois que policiais militares teriam realizado ações na comunidade em veículos particulares, segundo o aviso.
As regras, que circularam pelas redes sociais nesta semana, estipulam que os motoristas que passarem pela Rua Mentor Couto devem estar com os quatro vidros dos carros abertos, farol baixo, além da luz interna acesa. De acordo com o comunicado, nos dias 9 de março e 4 de abril, PMs teriam realizado operações no local em veículos particulares.
Publicidade
PMs teriam realizado operações no local em veículos particulares - Reprodução/Redes Sociais
PMs teriam realizado operações no local em veículos particularesReprodução/Redes Sociais
A ação teria resultado na morte de quatro integrantes do tráfico e em duas moradoras baleadas, sendo uma jovem de 23 anos e uma mulher de 50 anos. Ainda segundo o aviso, os militares teriam se recusado a socorrer os baleados, por estarem em carros particulares. As vítimas teriam sido socorridas pelos próprios familiares.
Publicidade
“Então, vamos respeitar o nosso pedido. Caso não ‘quiser’ respeitar, a responsabilidade é de vocês”, ameaça o comunicado, que ainda apresenta a imagem de supostos policiais militares.
Em nota, a Polícia Militar informou que a Corporação atua de forma ostensiva no patrulhamento de rotina e em abordagens em todo o estado, em viaturas, motocicletas e a pé. “Lembramos que ações pontuais são realizadas rotineiramente com objetivo de reprimir criminosos na área de circunscrição dos batalhões”, diz a nota.
Publicidade
“A Corporação não compactua com desvios de conduta por parte de seus membros, punindo com rigor os envolvidos quando constatados os fatos. Reforçamos que nossa Corregedoria segue sempre à disposição dos cidadãos para a formalização de denúncias”, completa.
As denúncias, que têm o anonimato garantido, podem ser feitas pelo telefone (21) 2725-9098 e pelo e-mail [email protected]