Vereador Dr. Jairinho
Vereador Dr. JairinhoRenan Olaz/CMRJ
Por O Dia
Rio - O Conselho de Ética da Câmara Municipal do Rio adiou para a próxima segunda-feira a decisão sobre o inquérito que pede a cassação do vereador Jairo Souza Santos Junior, o Dr. Jairinho (sem partido). Em sessão realizada nesta quarta-feira, os vereadores que integram o grupo pediram mais 48 horas para analisar a documentação enviada pelo delegado da Polícia Civil responsável. 
Com o pedido de prazo, a decisão sobre a cassação do político fica adiada para a próxima segunda-feira. O parlamentar, expulso do Solidariedade, é investigado pela morte do menino Henry Borel, de 4 anos. Ele e a namorada, Monique Medeiros, mãe da criança, estão presos desde o último dia 8 de abril.
Publicidade
Com a prisão, a Comissão de Justiça e Redação, considerada a mais importante da Casa, decidiu pelo desligamento do parlamentar que era um dos membros. O ato foi publicado no Diário Oficial da Câmara na última segunda-feira.
Jairinho também foi expulso do partido Solidariedade. A decisão foi a Executiva Nacional, em conjunto com a estadual, horas após a prisão do casal.
Publicidade
A investigação
Jairinho e Monique Medeiros são investigados pelo homicídio de Henry Borel. Para a Polícia Civil, o vereador é suspeito de agredir e torturar a criança. A namorada e mãe de Henry teve, segundo a polícia, participação direta no crime, por não denunciar o namorado.
Publicidade
Henry Borel morreu na madrugada do último dia 8 de março. Imagens de câmera de segurança do condomínio onde o casal morava mostram o menino sendo carregado pela mãe. Monique e Jairinho levaram a criança para o Hospital Barra D'Or. Mas segundo os médicos de plantão, Henry já chegou sem vida na unidade.