Vereador Dr. Jairinho
Vereador Dr. JairinhoReprodução
Por Carolina Freitas
Rio - O Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJRJ) aceitou, nesta segunda-feira, a denúncia da Delegacia de Proteção à Criança e Adolescente (Dcav) e tornou réu o vereador Dr. Jairinho por torturar a filha de uma ex-namorada.  
 "Os inúmeros depoimentos testemunhais colhidos na fase inquisitorial, demonstram os indícios de autoria na pessoa do denunciado da avó materna da vítima, Selma Silva que declarou ter ouvido de sua neta que teria sido agredida por Jairinho diversas vezes", diz um trecho da decisão.
Publicidade
Na última sexta-feira (30), o Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ) denunciou o vereador por tortura alegando que "entre os anos de 2011 e 2012, Jairinho submeteu uma menina, então com quatro anos, a intenso sofrimento físico e mental, como forma de castigo pessoal".
O órgão diz ainda que as agressões aconteciam quando a mãe da criança não estava presente. "Aproveitava-se do fato para, nas oportunidades em que se encontrava sozinho com a criança, torturá-la física e mentalmente".
Publicidade
Além disso, a denúncia cita que Jairinho "batia com a cabeça da vítima contra diversos lugares, chutava e desferia socos contra a barriga da criança, além de afundá-la na piscina colocando seu pé sobre sua barriga, afogando-a, e de torcer seu braço".
O MPRJ pede que caso o agressor seja posto em liberdade, compareça mensalmente ao juízo, no prazo e nas condições fixadas pelo juiz, para justificar atividades, seja proibido de se aproximar e manter contato com a vítima e seus familiares, em especial, os parentes que figuram como testemunha nos autos, e seja proibido de se ausentar do município sem prévia comunicação ao Juízo.