Movimentação no Morro da Caixa D'águaReginaldo Pimenta / Agência O Dia / Arquivo

Rio - "Rapaziada, não façam entregas para o lado de Quintino, no morro da Caixa D'água". O alerta é feito por um motoboy que trabalha como entregador para aplicativo de lanche, assaltado no interior da comunidade na Zona Norte do Rio. Segundo ele, traficantes deram ordem para a ação criminosa. 
Em áudio divulgado em grupos de WhatsApp, o entregador explica que esteve na comunidade para entregar uma encomenda de salgadinhos, no valor de aproximadamente R$ 80. 
O profissional foi abordado por homens armados e soube que o pedido foi feito pelos próprios traficantes. Em seguida, foi obrigado a deixar a comunidade sem receber o pagamento pelo serviço. 
"Trouxe salgadinho e uma Coca Cola, R$ 83, os caras me enquadraram, disse que foi eles quem pediram eu falaram que era pra eu me adiantar. Disse que estava trabalhando desde cedo, mas ele disseram que 'os amigos' tinham vindo da guerra e estavam cheio de fome e que a ordem partiu do Mano (suposto líder do tráfico local)", explicou o entregador, que ainda ouviu a seguinte resposta dos traficantes: "É só tu falar que foi ordem do Mano, fala pro Ifood que foi área de risco". 
O áudio foi divulgado nesta segunda-feira, mas a data da gravação não foi confirmada. 
Em outro áudio, atribuído a um suposto traficante, um homem se mostra indignado. "Tem vagabundo que está roubando no morro. Quem fez essa parada está de sacanagem, está um pouca vergonha. Tem que saber quem está roubando no morro. Tem que ver quem é esse ladrãozinho que está roubando entregador. Estão querendo esculachar o império do Mano. Não está certo isso não", diz o suposto traficante. 
 O morro da Caixa D'água é controlado por uma das principais facções criminosas do Rio. A área sofre com a constante guerra entre a milícia e o tráfico de drogas. A comunidade foi alvo de uma ação policial que resultou na morte de nove pessoas, em janeiro deste ano. 
Procurado através de e-mail, o Ifood ainda não respondeu.