Larvas no feijão de pacientes internados no Salgado Filho

Comida foi servida para o seu pai, Carlos Alberto da Silva, de 75 anos, que está internado na sala amarela do Hospital Salgado Filho, depois sofrer um AVC, no último dia 19

Por Isabele Benito

Larva
Larva -
Rio - A foto tirada por Vania da Costa Silva é de embrulhar o estômago. Segundo ela, larvas no feijão dos pacientes.
A comida foi servida para o seu pai, Carlos Alberto da Silva, de 75 anos, que está internado na sala amarela do Hospital Salgado Filho, depois sofrer um AVC, no último dia 19.

Vânia não se conforma com a situação do hospital e procurou nossa coluna para denunciar.

Fez várias fotos e vídeos das larvas e da situação de outros pacientes também.

Gente caída pelo chão e a sala amarela lotada.

“O péssimo atendimento a gente já conhece, mas bicho na comida já é demais”, relata Vânia, revoltada.

Ela já recorreu a justiça para tirar seu pai do Salgado Filho, conseguiu a liminar, mas a transferência ainda não foi efetuada… Falta de vagas!

Cobramos a Secretaria Municipal de Saúde, que até o fechamento dessa edição não nos respondeu.

E não venham dizer que larva é fonte de proteína.

Para o descaso com a saúde do povo...

3,2, 1 é DEDO NA CARA!
TÁ FEIO!

"Meu irmão quase morreu em um assalto agora, eu só consigo chorar, não estou acreditando, que cidade é essa?!"

Esse foi o desabafo da estudante Bianca Freire logo após o irmão ser assaltado ao descer do ônibus, em Cascadura.

O jovem de 21 anos estava com uma mochila e um celular quando foi abordado por três homens armados e uma mulher, dentro do ônibus. Ao perceber a movimentação, o rapaz, que tem problemas de audição e fala alto, pediu para descer do coletivo. Os bandidos não permitiram. Irritada, a mulher que acompanhava o bando, gritava: “Mata esse vacilão!” Ele não reagiu, entregou tudo, pediu desculpas por falar diferente, mas mesmo assim um dos criminosos falou: "Vou te matar!”

O pior só não aconteceu porque foi convencido pelo outro vagabundo que não precisava fazer aquilo. Mesmo assim antes de ir embora ele deu uma coronhada na vítima.

Armado e violento, esse é o perfil do "ladrão de rua" carioca. Não que em outra grande cidade o bandido é bonzinho, mas no Rio de Janeiro, estão armados e com disposição pra matar.

O "roubador " aqui é um potencial latrocida, não pensa duas vezes antes de atirar.

Quando há qualquer tipo de reação então, a tragédia é fato.

Essa semana o motorista de aplicativo Rodrigo Pezzi Loureiro partiu pra cima do ladrão na Tijuca. As imagens das câmeras de segurança de um prédio mostram os últimos segundos da vida dele, enfrentando o vagabundo de peito aberto… O bandido não levou nada da vítima, mas tirou a vida de Rodrigo, que deixou a mulher grávida e uma filha pequena.

Na BR 101, o aposentado que levava a filha e a neta pequena para o Espírito Santo se assustou com a abordagem, acelerou o carro e tomou um tiro no olho.

A gente não pode mais aceitar conviver com essa situação!

Por isso se você me perguntou se tá feio ou tá bonito… É muito fácil ser valentão com uma arma na mão, e tenho dito.
PINGO NO I
O caso da senhora de Rio das Ostras que teve que ir de maca até um banco para fazer a "prova de vida" e voltar a receber o benefício do INSS é o retrato da burocracia e da falta de humanidade.

É obvio que é preciso ter critérios para se evitar fraudes, mas é preciso avaliar cada caso.

Custava alguém ir até a ambulância em frente ao banco ou até o hospital?

Como no caso do professor Jorge Crim no começo do mês, numa agência do INSS no centro do Rio. O deficiente teve que se arrastar pelas escadas para fazer perícia, já que o elevador estava quebrado e nenhum médico desceu para atendê-lo no primeiro andar.

Ah, gente!!!

Bora colocar o pingo no i...

O que acontece em determinadas repartições é que falta bom senso e boa vontade.

Comentários