SOS saúde do Rio!

Hoje, a bola da vez é o Hospital Salgado Filho

Por O Dia

Sargento Martins deu um exemplo de gratidão
Sargento Martins deu um exemplo de gratidão -

E a situação da saúde pública do Rio de Janeiro continua insustentável... Superlotação de emergências, falta de insumos e até de médicos!

A coluna relatou faz pouco tempo a situação do Hospital Albert Schweitzer. Hoje, a bola da vez é o Hospital Salgado Filho. Uma paciente chega desmaiando de tanta dor por causa de uma fratura no úmero. Segundo relatos de quem estava no local, não havia maca para ela se deitar. Ficou na cadeira mesmo!

Outros pacientes não tiveram a mesma sorte. Nem cadeira tinha, foram ficando pelo chão...

Emergências lotadas! As poucas macas que ainda funcionam estão com dificuldade de serem transportadas pelos corredores... É muita gente pedindo socorro... E pouca atenção!

"Boa tarde, me ajuda! Eu preciso ser atendida! Você é médica?", implora uma paciente.

Os pacientes atestam: faltam médicos no local! Os que ainda insistem em trabalhar estão sobrecarregados. Sobra para quem não é médico, que presta serviço para unidade, atender os que chegam... Quanto descaso!

E aí eu pergunto mais uma vez... Até quando o pobre vai ter que viver em condições desumanas? O que vai ser feito para mudar a realidade dessa população?

A gente tá cansado de gritar até perder a voz e não ter retorno! Mais gente vai ter que morrer? O povo não aguenta mais tanto sofrimento.

Em nota, a Secretaria Municipal de Saúde informou que, em média, 6.500 pacientes são atendidos todos os meses na unidade. Só na sala de trauma, aproximadamente, 670. Todos os 308 leitos estão em uso com pacientes recebendo atendimento, e que o Salgado Filho é uma unidade de porta aberta, sem recusa de atendimento a quem precise.

Por isso, pode funcionar acima da capacidade ideal, mas com todos os pacientes recebendo os cuidados indicados. Nós últimos três anos, mais de 2.700 profissionais foram contratados entre concursos e processos seletivos para contratação temporária.

Não é o que a gente vê por aí, né? Tá na hora de virar esse jogo! 3,2,1...
É DEDO NA CARA!

Pingo no I

A coluna cobrou e a Cedae emitiu nota para esclarecer sobre a denúncia dos lava-jatos clandestinos que atuam de forma desenfreada na Avenida Leopoldo Bulhões, em Benfica, na altura de Manguinhos. A denúncia foi feita aqui na última quarta-feira. Segundo a concessionária, a Equipe de Segurança Patrimonial irá apurar a informação e tomará as providências cabíveis junto aos órgãos competentes.

Ainda afirma que realiza operações constantes contra as ligações ilegais e que, inclusive, mantém estrutura dedicada ao combate, além de realizar vistorias em conjunto com a Delegacia dos Serviços Delegados e Polícia Militar. Somente este ano, até o último dia 16, mais de 6.510 vistorias de combate aos 'gatos' de água foram realizadas, o que resultou em mais de 1.723 autos aplicados.

Bora colocar o pingo no I...

Desvio de água é crime! E fiscalizar é nosso dever.

Tá bonito!

Sargento Martins deu um exemplo de gratidão - Divulgação

Da gratidão à solidariedade... Na frente do Hospital Albert Schweitzer, que sofre diariamente com o descaso que corrói a saúde no Rio, uma caminhonete estaciona... É o sargento Martins, do 14º BPM (Bangu). No porta-malas ele carrega cestas básicas para os funcionários do hospital. É uma forma de agradecimento pelas quatro vezes em que foi atendido por esses guerreiros que, mesmo com salários que atrasam, estão lá de sorriso e coração abertos para receber a população.

Nesse fim de ano, muitos profissionais, por conta da crise, estão sem ter o que comer! A atitude do sargento representa muito mais do que um simples gesto de gratidão. Representa uma luz no fim do túnel para tantas famílias.

Por isso, se você me perguntou se tá feio ou tá bonito... Polícia não é só prender bandido... É comunidade, solidariedade, é cuidar de quem mais precisa, e tenho dito!

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários