Coronavírus: só se fala nisso

Mais do que nunca, os veículos de comunicação de credibilidade se tornam importantes diante do pânico

Por O Dia

Logo que eu acordei, comecei a responder sobre o coronavírus. Não sou médica, mas muita gente tende a achar que jornalista sabe de tudo, ou pelo menos um pouco sobre tudo. Até a gente acha isso, às vezes, confesso.

O taxista: "E aí? Devo ficar em casa?". Eu respondi: "Não sei, vamos esperar as autoridades!" Jornalistas, médicos e autoridades estão aprendendo todos os dias com a crise da Covid-19 e tudo que é novo é assim.

Por isso, cuidado com compartilhamentos, alarmismos ou o contrário, pouco caso! Mais do que nunca, os veículos de comunicação de credibilidade se tornam importantes diante do pânico. Informação precisa e checada é a melhor arma da população.

Tem que acompanhar, seguir protocolos e acreditar que vai melhorar. Caso contrário, ou a gente fica doente do vírus ou da cabeça! Aliás, falando em cabeça... É preciso ser racional. Evitar aglomerações mesmo que o aniversário da sua melhor amiga de 40 anos esteja marcado há meses. Mesmo que seu filho implore pra ir à festa dos coleguinhas.

Lavar as mãos deveria ser um hábito constante, use esse receio para se reeducar ou educar os pequenos! E assim seguimos checando diariamente os avanços contra o corona, e claro, seguindo a vida. Por isso, seguindo o protocolo de saúde, nada de dedo na cara... O negócio agora é: Mãos longe do rosto!

 

Pingo no I

Correu para fazer estoque de álcool em gel e se proteger do coronavírus? Ok, você está certo. Cuidado nunca é demais! Mas tem gente que acabou com o estoque de máscaras das lojas, de tanto desespero. E aí, quem realmente precisa usar, não consegue encontrar uma caixinha sequer para contar história.

Como foi o caso da dentista Fernanda Mishima, que foi a uma loja de produtos odontológicos na Tijuca, onde tem consultório, para comprar as máscaras. Lá, ela foi informada que só conseguiria comprar uma caixa por número de CPF.

Além disso, nas lojas em que conseguiu achar, o valor aumentou de R$ 15 para R$ 25. Isso é sacanagem, hein?  "A gente que precisa, de fato, usar as máscaras para atender os pacientes fica preocupado. E aí fica aquela pergunta: Até quando vamos conseguir achar?", diz Fernanda.

Os especialistas dizem que não é pra tanto. A máscara só serve para determinados locais e não é pra ficar com ela o dia todo! Então, bora colocar o Pingo no I... É difícil pedir para que as pessoas não entrem em pânico, mas nada de desespero.

Tá feio!

Curto na fiação é tão forte que chega a partir os fios - Divulgação

Todos os dias, por volta das 20 horas, os moradores da Rua Durval de Morais, em Guaratiba, já sabem: É hora de acabar a luz! Segundo eles, todo o transtorno é causado por uma fiação que fica entre as ruas Ágatha Christie e Enrico Caruso, que são próximas. A situação piorou desde o mês passado, faltando poucos dias para o Carnaval começar.

O curto na fiação é tão forte que chega a partir os fios e o barulho, de uma explosão, é assustador. Até fogo o poste já pegou. "Nós passamos o Carnaval todo sem luz. Os técnicos da Light chegam de madrugada, só que ao invés de trocarem a fiação por completo, ficam fazendo remendo", conta a moradora Roberta Almeida.

A coluna procurou a Light que informou que novamente vai enviar uma equipe ao local. A concessionária também ressaltou que a região é repleta de ligações clandestinas, os "gatos", que sobrecarregam a rede e prejudicam a qualidade no fornecimento de energia. Por isso, se você me perguntou se tá feio ou tá bonito... Tem que checar, problema tem que ser resolvido, não remendado... E tenho dito.

Comentários