Não está fácil para o carioca

A vida de quem mora no Rio anda assim: Medo de beber a água, de contrair o vírus, de tomar uma bala perdida, do morro desabar na sua cabeça. Medo de morrer

Por O Dia

Se não cuidar, todo mundo vai ficar doente. E não é do vírus! Medo de beber a água, de contrair o vírus, de tomar uma bala perdida, do morro desabar na sua cabeça. Medo de morrer!

A vida do carioca não é nada fácil e não é de hoje que ele sobrevive todos os dias. Sem contar o dia a dia da violência que gera ansiedade, pânico e vítimas diretas e indiretas, o Rio é um teste diário para a sanidade mental do carioca. Vamos pegar só 2020...

Nosso povo tem doenças rondando desde a primeira semana de janeiro. Foi quando moradores da Zona Norte amanheceram com água nas torneiras com cheiro, gosto e cor.

Até agora, eu, por exemplo, não consigo tomar a água da minha casa. E, pelo visto, muita gente também não. Meu filho aprendeu que beber água pode transmitir doenças, dor de barriga, e por aí vai.

Quem não teve dinheiro para comprar água mineral, se arriscou a tomar aquela que não é potável. Ou a opção era morrer de sede. Agora, vem mais essa paulada chamada coronavírus.

A gente nem saiu da crise da água e agora tem que gastar com álcool em gel. É criança sem escola, medo das consequências econômicas. Isso tudo num estado que mais sofre com o desemprego.

Não há quem aguente! Uma hora tudo 'dá ruim' na cabeça da pessoa. É muita angústia e incerteza de uma vez só. A psiquatra Roberta França alerta: "É a primeira vez na história que temos uma pandemia com rede social ativa. Isso faz com que o fluxo de informação seja muito rápido e agressivo. A gente não pode confiar em tudo que lê e também precisa cuidar desse desespero, trabalhar as emoções". Tem que respirar pra não pirar! Mas cuidado perto de quem. Eu falei respirar, não espirrar. Então, nada de dedo na cara. Continuem lavando as mãos!

Pingo no I

Dudu continuará fazendo tudo o que já fez em sala - Divulgação

Decreto feito e a criançada em casa comemorando: 'Oba, férias!'. Só que não! Nada disso, gente! A gente que é mãe sabe como é um desespero ficar sem saber o que fazer com os filhos dentro de casa.

Mas agora, não é o momento. Está na hora de entender que uma pandemia é grave. Quanto mais em casa, melhor! É lógico que ninguém deve ficar enclausurado, sem ver a luz do sol. Toda criança pode ir na casa de um amiguinho jogar uma partida de videogame, mas com responsabilidade!

Aqui em casa, não tem moleza! Tá sem aula? Ok. Ficar sem estudar. Jamais! Dudu vai continuar praticando tudo o que já fez em sala de aula. A gente sabe que ele não gostou nem um pouco, mas ele tem que aceitar, né?! Bora colocar o pingo no I. Nada de férias! O negócio agora é estudar e claro, prevenir.

Tá bonito

Os filhos ficaram em casa, mas nem todos os pais foram dispensados. A medida necessária de fechar as escolas pegou muitas famílias de surpresa. Por isso, algumas mães tiveram uma grande ideia. Solidariedade materna.

Quem trabalha só em casa vai se revezar para ficar com os filhos das outras. Claro que poucas crianças para evitar aglomeração! Marianna La Vega é uma dessas mães maravilhosas. Ela trabalha em casa como tradutora e vai ficar com mais três amigos da escola do filho em casa, já que as mães não podem ficar em casa.

"Sei que vou enlouquecer algumas horas, mas é só um período e a gente precisa se ajudar", conta ela. Por isso, se você me perguntou se tá feio ou tá bonito. Mãe amiga é tudo na vida e tenho dito!

Comentários