Chega em qualquer lugar...

O que posso dizer dessa experiência aterrorizante? É que o inimigo é invisível, não bate na porta e é personalizado

Por O Dia

 Quem enfrenta as dificuldades da pandemia, pode passar no mercadinho que fica lá em Del Castilho, e pegar os mantimentos que precisar, desde que de forma consciente, para que não falte para ninguém
Quem enfrenta as dificuldades da pandemia, pode passar no mercadinho que fica lá em Del Castilho, e pegar os mantimentos que precisar, desde que de forma consciente, para que não falte para ninguém -
Desde a última quinta-feira, sigo com meu marido internado num CTI de um hospital na Barra. E o resultado saiu... Pneumonia causada pelo vírus Covid-19.

O que posso dizer dessa experiência aterrorizante? É que o inimigo é invisível, não bate na porta e é personalizado.
Em alguns, ele pode até se instalar sem dar as caras de verdade... Em outros, é devastador. Em dias leva a pessoa a lona. E quem quer pagar pra ver?

Você que me lê, sabe se a sua imunidade está alta? E não é só por você... É o medo diário dos sintomas se manifestarem de forma agressiva, como vi aqui dentro de casa.

Seguimos isolados do mundo... Por nós e por todos, até sermos testados também.

Ele, que sentiu na pele o poder da Covid, segue reagindo, mas sozinho...

É uma doença solitária, o contato com familiar é proibido! E quem chega perto de você, está todo equipado para não se contaminar com o que mora dentro... De você.

Ninguém sai dessa experiência como entrou. Não é só o trauma, é a impotência diante de um inimigo tão covarde. Se cuidem e cuidem dos seus.

Pingo no i

O número de mortes no Rio só aumenta. A situação é alarmante e a cidade segue para mais 15 dias de quarentena.

Mas quem disse que o carioca leva fé no poder que esse vírus tem? É sempre aquela história do “nunca vai acontecer comigo”... Vai vendo...

Ontem, as ruas da Freguesia estavam lotadas, e algumas situações chamaram a atenção: duas senhoras, uma de 78 e outra de 89 anos, faziam compras... O frentista gritou: “Vão pra casa, senhoras!” Elas, na lata, revidaram: “Se não gostou, chama a policia.”

Outra situação, mais irresponsável ainda... Uma jovem, acompanhada da mãe idosa, conversando com uma amiga da senhora: “Minha mãe ontem começou a passar mal. Estava com todos os sintomas que passavam na TV, até no hospital ela quis ir! Preferi trazê-la para rua, ver a luz do sol e espairecer faz bem.”

Bora colocar o Pingo no I...

Quem brinca com fogo, no final se queima, hein!

Tá bonito!

A mesinha é simples, a toalha também e o estabelecimento pode até ser pequeno... Mas a atitude é gigante e merece ser reconhecida.

Quem enfrenta as dificuldades da pandemia, pode passar no mercadinho que fica lá em Del Castilho, e pegar os mantimentos que precisar, desde que de forma consciente, para que não falte para ninguém.

E é sempre assim, né?... De onde menos a gente espera, é de onde vem a solidariedade.

Enquanto nossos governantes se estapeiam, fazem guerra, o mais pobre se une em prol do próximo. Viva o nosso povo! Ah... E quem quiser colaborar na corrente, é só chegar e deixar sua doação, ok?

Por isso, se você me perguntou se tá feio ou tá bonito... Nós vamos vencer essa, juntos, e tenho dito.
 

Comentários