Mais um dia começa...

A angústia, enquanto o vírus está aqui, é de que ele acorde e tente fazer estrago como fez em milhares de pessoas pelo mundo

Por O Dia

Ufa... Não senti falta de ar. Encho os pulmões, o ar vem e estou bem.

Essa é a minha rotina de "paciente assintomática" da Covid-19. Todo dia, ao acordar.

A angústia, enquanto o vírus está aqui, é de que ele acorde e tente fazer algum estrago como fez em milhares de pessoas pelo mundo. E também no meu marido, que continua em recuperação no hospital.

Os médicos dizem que é muito difícil, depois de tantos dias, eu desenvolver algum sintoma, mas é tudo tão novo e tão desconhecido que a incerteza é companheira constante.

Eu não posso adoecer. Meu filho tem sete anos, depende de mim... Ele negativou e, por isso, dentro de casa a estratégia é de guerra.

Onde um está, o outro não fica! Vai explicar isso para uma criança que é colada em você o tempo todo e que dorme na mesma cama que você desde que nasceu...

O coronavírus veio pra mudar tudo, dentro e fora da minha casa. Eu já passei da fase: "Onde isso pegou em mim?"

Não tem essa. Ele está por aí!

É preciso se conscientizar, se proteger, acreditar nas autoridades e ser solidário.

Solidário em palavras, em atitudes, o vírus é personalizado por ser apático em uns e agressivo em outros.

Essa luta é nossa. É de todo mundo e por todo mundo... Dentro e fora das casas.

 

Pingo no I

Durante o isolamento, a gente reflete sobre tanta coisa, né? Às vezes bate até uma certa tristeza...

Não é fácil ficar isolada, ninguém gosta de ficar longe. O carioca, principalmente, gosta do contato, do beijo, do abraço. E eu, como uma carioca de alma, sinto falta disso.

Nessa quarentena eu venho me perguntando: "O que o brasileiro pode tirar de melhor dessa situação?"

O nosso povo, é claro, que tem um humor e tanto! Tem cada coisa engraçada na internet! É funk sobre o vírus, memes, até padre fazendo oração com filtro! É muita coisa criativa...

É óbvio que a gente sente muito com as pessoas que sofrem, mas a gente precisa curar a mente também.

E gargalhar, nesse momento, tem sido um refúgio e tanto!

Bora colocar o Pingo no I...

Como diz a música: "Manda essa tristeza embora! Basta acreditar, um novo dia vai raiar... Sua hora vai chegar!"

A nossa vai chegar, acreditem!

Tá bonito

Foram tantas mensagens carinhosas que acho que vai faltar espaço nessa coluna para agradecer.

Minhas redes sociais chegaram a travar com tantas palavras de carinho... Os amigos e colegas, de todos os locais onde trabalho, continuam emanando energia positiva. Até o governador aproveitou uma coletiva pra prestar sua solidariedade à mim e minha família.

Muita gente pode falar "Ah, só porque ela é apresentadora!" Nada disso. É carinho de ser humano. É amor ao próximo!

Vocês podem ter certeza de que um dos remédios para curar esse vírus é saber que alguém se preocupa com a gente.

Muito obrigada!

Por isso, se você me perguntou se tá feio ou tá bonito... Que a gente continue se amando muito, e tenho dito.

Comentários