Sem um destino para comerciantes do mercado popular de Botafogo

Construtora, que é atual proprietária do terreno, quer que a prefeitura retire quem trabalha ali, para futuras obras

Por O Dia

comerciantes coluna isabele benito
comerciantes coluna isabele benito -
Rio - Mercado popular de Botafogo... Ô lugar movimentado, hein? Fica entre as ruas São Clemente, Voluntários da Pátria e Nelson Mandela. Ali vende de tudo! É cada comida boa que tem... Já até gravei por lá!
Mas hoje, infelizmente, não é de coisa boa que a gente vem falar... É pedido de socorro.

Segundo os comerciantes da região, os quiosques que estão no local há 30 anos vão fechar as portas mais cedo ou mais tarde. Tudo porque a construtora, que é atual proprietária do terreno, quer que a prefeitura retire quem trabalha ali, para que futuras obras sejam construídas.

São várias medidas judiciais da construtora para que os trabalhadores saiam ou pelo menos se mudem. Mas não é fácil arrumar outro lugar para que as pessoas trabalhem, né?

“A gente só tem esse meio de sobrevivência. São 94 famílias sustentadas com o dinheiro daqui. Nosso medo é sair e não ser remanejado. Não dá pra conseguir trabalho no meio de uma pandemia e de uma crise econômica”, conta Eva Torres, uma das comerciantes.

É sempre assim... O negócio vira um pingue-pongue só! E a gente sabe onde isso vai parar. A construtora tem todo o direito, comprou o terreno em um ponto nobre... Só que é preciso um pouco de consciência humana e bom-senso. Um outro lugar para que as pessoas se mantenham empregadas!

Que fique bem claro que ninguém aqui vai questionar decisão judicial. Tem que sair, ok! O que não pode é deixar o povo à míngua.

A coluna questionou a Procuradoria Geral do Município que explicou que o prazo para desocupação do terreno já encerrou, mas nenhuma ação está sendo realizada no momento. A prefeitura ainda afirma que vai buscar uma solução amigável para a questão.

Em nota, a construtora alega que o imóvel é de propriedade da empresa e está devidamente licenciado. O remanejamento foi necessário, por questões de segurança, para construção de um empreendimento que revitalizará a área, gerando centenas de empregos. Segundo a construtora, alguns ambulantes aceitaram o pagamento de R$ 20 mil de indenização e que já deixaram o local.

A gente segue na torcida para que os trabalhadores não fiquem na mão.

TÁ FEIO!

dona marilene coluna isabele benito - Divulgação
Dois anos... Esse é o tempo que Dona Marilene de Araújo Domiciano, de 66 anos, moradora de Costa Barros, aguarda na fila do SISREG para operar um tumor no útero. Marilene sofre com muitas dores e passa por sangramentos constantes.

“Chega a ser constrangedor. Alguém tem que tirar isso de mim. Choro de dor, já fiz os exames, mas até agora nada dessa cirurgia. Eu não quero morrer”, conta a aposentada.

A coluna procurou a Secretaria Municipal de Saúde, que afirma que desde agosto de 2018, não há nenhum registro da paciente na clínica onde ela recebia atendimento. Na última vez em que esteve na unidade, foi agendada consulta para ela com especialista no Hospital Municipal da Piedade, em 2019.

A direção do Hospital da Piedade vai rever o caso e pede que a paciente procure a unidade na próxima quinta-feira, às 10h, para que seu caso possa ser reavaliado.

Se você me perguntou se tá feio ou tá bonito... Essa cirurgia tem que ser pra ontem, e tenho dito!

Comentários