Dor e agonia

"Com os laudos em mãos, Ketlyn Ferreira Esteves, de 19 anos, moradora de São Gonçalo, apela em desespero"

Por Isabele Benito

Ketlyn
Ketlyn -

'Isabele, me ajuda! Descobri que estava grávida, mas meu neném está morto'.

Com os laudos em mãos, Ketlyn Ferreira Esteves, de 19 anos, moradora de São Gonçalo, apela em desespero.

Depois de muitos enjôos, a jovem, que já é mãe de uma menina de 2 anos, decidiu fazer um exame de sangue para tirar a dúvida... O resultado: Positivo! Mamãe de novo, grávida de 2 meses... Ketlyn e o marido foram à primeira ultra do pré-natal no último dia 08 e eis que descobriram que o feto estava sem vida.

A partir daí, muitas dores e idas ao Hospital da Mulher Gonçalense... E sempre o mesmo pedido: Esperar até o mês que vem para que o corpo aja naturalmente. Segundo Ketlyn, os médicos afirmam que o feto está se desfazendo, mas sua barriga não para de inchar.

"É uma cólica insuportável, não paro de vomitar. Não tenho como esperar 30 dias. Já não vou ter o meu bebê e ainda tenho que passar por esse sofrimento?", diz Ketlyn.

Desde o dia 15 desse mês as dores só aumentaram e Ketlyn contou que ontem ficou de cinco da tarde até quase onze da noite sentada em uma cadeira, pedindo por socorro. Ninguém quis atendê-la.

"Eles só dizem que é o protocolo, que eu tenho que aguentar esse período... Mas e o medo de uma infecção? Eu não quero morrer!"

Que situação... Sabemos que existe uma determinação médica, esse é o procedimento, mas o mínimo que se pode fazer nesse momento é monitorar a situação e prestar assistência. Não pode deixar a menina jogada na cadeira, gritando de dor... É desumano!

A coluna procurou a direção do Hospital da Mulher de São Gonçalo, onde em nota afirma que Ketlyn está sendo acompanhada e que seu quadro é estável e sem sinais de infecção. Por isso, se aguarda a resolução espontânea, para que se evite uma cirurgia desnecessária. A intenção é solucionar o problema na hora certa para diminuir o risco de complicações.

Que Ketlyn fique bem e que tudo se resolva logo!

 

Pingo no I

Todo mundo aqui foi à favor das medidas de isolamento social, principalmente aquelas onde impediam que a população circulasse nas ruas bem no pico da pandemia. A gente não saiu disso, mas respeita a ordem da prefeitura de afrouxamento para um "novo normal". Só que tem gente que ainda não entendeu a história! O povo tem que trabalhar, mas têm estações do BRT que continuam fechadas... E aí, faz o que? Aglomera em outra estação? Não, né?! Tem que reabrir! Se tem demanda, tem que ter oferta... Nesse caso, é saúde pública!

Outra situação: Passageiros afirmam que os intervalos do metrô continuam enormes, iguais ao início do isolamento. Isso significa que os vagões vão ficar lotados. Distanciamento social assim não rola!

Em nota, o metrô informou que todas as estações estão abertas e o horário de funcionamento da operação segue normal nas três linhas, como acontece durante o período de restrições na cidade. Também afirma que disponibilizou mais trens no período de maior demanda e recomenda que usem o serviço fora do horário de pico.

Bora colocar o Pingo no I...

Não é só colocar o negócio pra funcionar. Que funcione, mas com qualidade e segurança para quem precisa!

Tá feio!

Toda época de São João é a mesma coisa... Um bando de marmanjo pra lá e pra cá soltando balão. Eles não lembram que é crime?

Só essa semana foram mais de 50 balões pelos ares, a maioria na Zona Norte. E no que isso dá? Incêndio na mata, como aconteceu na Serrinha, fio queimado... Imagina se cai na casa de alguém? É tragédia anunciada!

Precisa de mais fiscalização e punição rigorosa... Não dá para encarar no oba-oba, na brincadeira. Vão caçar o que fazer! Por isso, se você me perguntou se tá feio ou tá bonito... Vamos fazer nossa parte que é denunciar, e tenho dito.

Comentários