Ô praça cara!

Obra de revitalização da praça Darcy Ribeiro em Édson Passos custou R$ 322 mil

Por O Dia

Placa da obra de revitalização da praça Darcy Ribeiro, em Edson Passos, Mesquita
Placa da obra de revitalização da praça Darcy Ribeiro, em Edson Passos, Mesquita -
A placa está lá para quem quiser ver... 322 mil reais. Esse é o valor gasto pela prefeitura de Mesquita na obra de revitalização da praça Darcy Ribeiro, em Édson Passos.
Isso mesmo, mais de 300 mil reais em uma praça! E o que todo mundo quer saber é: Qual o intuito?
Segundo moradores, a obra começou no mês passado e até agora só o chão foi retirado e colocado um novo concreto... Tudo bem que a obra tem um prazo de 5 meses para ficar pronta, o que também já é muito tempo!
Mas o que mais causou espanto na população foi: Pra que gastar 300 mil reais numa obra de praça, no meio de uma pandemia?
Ninguém é contra praça, todo mundo merece uma área de lazer bonita e arrumada, mas nesse momento, seria melhor gastar dinheiro com o que realmente importa, que é a saúde do povo!
“O pólo de atendimento às vítimas da Covid, na Avenida União, já fechou, porque eles dizem que o número de casos diminuiu. Eu tenho plano de saúde, mas quem não tem? Só pode contar com a clínica da família e a UPA, que não funcionam. Mesquita não quer praça reformada, quer saúde de verdade”, conta o morador Jorge Messias.
Realmente fica difícil de entender... Dá uma sensação de dinheiro jogado fora.
A coluna procurou a Prefeitura de Mesquita, que em nota informou que o preço da reforma é estimado dentro da tabela EMOP, conforme determinação dos órgãos de administração pública. Informou também que a licitação da obra foi finalizada em fevereiro de 2020, ou seja, antes da pandemia do coronavírus e que no mês passado, um levantamento realizado pelo MP-RJ apontou Mesquita como a cidade mais transparente do estado.
Quanto aos pólos às vítimas de covid-19, a prefeitura frisou que o da Vila Olímpica segue funcionando no mesmo esquema de antes, ou seja, diariamente, das 8h ‪às 20h‬.
3,2,1... É DEDO NA CARA!

PINGO NO I

Tudo é uma questão de educação e adaptação...

Mesmo com o afrouxamento da quarentena, ainda é muito importante que as pessoas mantenham o distanciamento social. Seja no transporte público, no banco ou no supermercado.

Em todo lugar há uma marcação que faz com que um fique longe do outro, mas as pessoas fazem parecer que não existe. Ah, e se você reclamar, ainda fica bravo! Vai entender...

Não é pra ficar bravo, tem que respeitar o espaço do outro! Na década de 80, por exemplo, ninguém usava filtro solar, cinto de segurança... Só que agora é regra e salva vidas.

Bora colocar o pingo no I...

O negócio é conscientizar e evoluir!

TÁ FEIO!

Cada vez mais banalizado... O vírus parece que sumiu, as festinhas clandestinas continuam, e fiscalização que é bom, nada!

Nas minhas redes sociais são dezenas de denúncias de festas que acontecem todo fim de semana, sem qualquer preocupação.

Uma moradora do Parque Beira Mar, em Caxias, afirma que um salão de festas na Rua Carlos de Carvalho faz bagunça até 7 da manhã. Lá rola de tudo... Som alto, briga, e cadê que alguém vai lá acabar com a farra?

"Eu tenho até medo de ser identificada e alguém me agredir", escreveu ela.

Ah, pera lá, né? Já não basta o vírus rondando, o morador ainda tem que aturar a falta de respeito do som alto a madrugada inteira? É muita falta de noção!

Se você me perguntou se tá feio ou tá bonito... Já deixou de ser oba-oba, o negócio tá criminoso, e tenho dito.

Comentários