Ô, CANSEIRA!

Coluna de segunda-feira de Isabele Benito

Por O Dia

TÁ BONITO! Cássia e voluntários em praça da Tijuca - coluna Isabele Benito
TÁ BONITO! Cássia e voluntários em praça da Tijuca - coluna Isabele Benito -
No jogo de empurra, a Sociedade de Pediatria do Estado do Rio de Janeiro (SOPERJ) se posicionou. 
Em comunicado divulgado nesse fim de semana, a instituição defende que lugar de criança é, sim, na escola! Que o direito à educação é universal.
Traduzindo pra língua do povo. Tem que organizar toda essa zona. Porque já deu pano pra manga o suficiente. Pra dizer melhor, já virou palhaçada. Ninguém aguenta mais!
Entra liminar que libera a volta às aulas, marca a data de retorno, suspende, mais uma liminar que agora autoriza...
Gente do céu, as autoridades só podem estar querendo enlouquecer os pais que ficam nesse fogo-cruzado, né? Não é possível!
Está faltando o mínimo de comunicação e entendimento de ambas as partes... Tem que ver a lógica de tudo isso.
Muito se fala: “Ah, as escolas só vão reabrir depois que a vacina chegar”.
E se a vacina demorar? Ninguém tem uma data exata sobre isso. A criançada vai ficar em casa esse tempo todo?!
É claro que proteger as crianças é muito importante, mas deve haver o mínimo de coerência pra isso.
Está tudo aberto... Plays de condomínios, pracinhas, quadras. Num vídeo que a coluna recebeu, mais de 10 crianças brincavam normalmente, sem máscaras, num shopping da Zona Norte. Tudo supervisionado pelos pais.
Ah, mas criança ir pra escola não pode!? Pera lá... A decisão de ir ou não deve ficar a critério dos responsáveis. Como a gente já disse, todo mundo sabe onde seu calo aperta! Não pode afirmar quem é certo ou errado.
A vida tem que voltar ao normal, mesmo que aos poucos. A gente tem acompanhado vários lugares que seguem as regras de higienização contra o vírus... As escolas também têm que se adequar a essa realidade! Professores atentos e treinados, sempre de olho nos alunos.
É claro que não dá pra comparar a estrutura de uma escola privada com uma pública, que na maioria das vezes nem ensino de qualidade tem. E é nisso que se deve pensar: no que fazer para que todas as escolas, sem exceção, tenham igualdade para prevenir.
Tá cansativo, meu povo... Ô, se tá!
PINGO NO I

Aqui vai uma mensagem para começar a semana. Não se engane com a gente nas redes sociais... É preciso mostrar a realidade!
Sim, a gente muitas vezes está maquiada, bem fotografada, mas a rede social não é sempre o tempo real da vida de todo mundo.
Ontem, assisti ao primeiro tempo do futebol com meu filho, pulei na piscina gelada pra fazer a vontade dele no intervalo. Tudo isso com tempo curto pra fechar esta coluna.
Lembrei que não tinha ligado para minha mãe... Sem querer magoei, no meu esgotamento, minha melhor amiga!
Quem vê minha correria, registra a foto do momento em que estou apurando uma informação com uma fonte (Enquanto o Igor, meu produtor, não para de ligar).
Ainda não vi o filme que tinha me prometido e, pelo visto, nem vou ver... Meu filho pediu pra andar de bicicleta.
Bora colocar o Pingo no I...
Essa é a vida real de ser jornalista e mãe o tempo todo. Amo tudo isso, mas falhamos também como todo mundo. Quem sabe, no próximo fim de semana, eu veja a série que prometi mês passado. Vamos à luta!
TÁ BONITO!

Já que o poder público não se mobiliza, alguém tem que fazer, né? No caso, o povo!
Moradora há 30 anos da Rua Sabóia Lima, na Tijuca, Cássia Dias Stamile cansou de esperar alguma resposta da prefeitura sobre a restauração da praça Hans Klausmann, a “praça dos bichinhos”, que tem animais esculpidos em pedra há mais de 40 anos.
O professor Paulo de Tarso, morador da rua, foi quem realizou o trabalho, mas com o tempo, as peças foram se degradando, e só adotando a praça seria possível restaurá-la. Cássia correu atrás e conseguiu o direito.
“Sempre trouxe meus filhos para brincar aqui. Essa área é um ambiente lúdico para as crianças e precisa ser preservada... É de todos nós, moradores e cariocas”, conta ela.
A iniciativa da professora de inglês logo fez aparecer voluntários... Mas quem ainda puder colaborar com latas de tinta, tá valendo!
Por isso, se você me perguntou se tá feio ou tá bonito... Cada um faz sua parte, todo mundo sai ganhando, e tenho dito.

Comentários