A missão é empoderar novamente a polícia

Em entrevista à coluna, secretário de Polícia Civil do Rio destaca grandes desafios da Segurança Pública no estado

Por O Dia

Allan Turnowski defendeu uso de helicópteros, que segundo ele, traz superioridade bélica, é útil e evita confronto
Allan Turnowski defendeu uso de helicópteros, que segundo ele, traz superioridade bélica, é útil e evita confronto -
Foi uma conversa rápida, mas um tanto direta... Entre uma reunião de planejamento estratégico e outra, o novo secretário de Polícia Civil do Rio de Janeiro, Allan Turnowski, falou com a coluna.

No papo, Turnowski, que antes de aceitar o convite do governador em exercício Cláudio Castro, estava como chefe do Departamento Geral de Polícia da Capital (DGPC), destacou os grandes desafios da Segurança Pública do estado:

“Nossa maior missão é empoderar novamente a polícia. E consequentemente, tirar o poder das mãos de traficantes e milicianos.”

Finalizando o café, Allan afirmou que o foco de sua gestão como secretário será o equilíbrio de ações, entre megaoperações, mas também com um olhar para trás, para o “quintal”, o que as delegacias de bairro e os batalhões já vem fazendo na atual gestão.

“É um trabalho integrado. E esse trabalho de integração da PM com a Polícia Civil vai incrementar o policiamento. Depois da prisão de um criminoso, deve-se olhar pra trás, verificar todo o histórico, os antecedentes... Para que se tenha o reconhecimento dos outros crimes cometidos.”

Sobre o combate das grandes organizações criminosas, que dominam todo o Rio de Janeiro, Turnowski foi categórico. “Tem que tirar o dinheiro, seja do traficante, do miliciano, o que for. Só se combate o crime organizado assim... Não pode valer a pena cometer o crime.”

É claro que não podia faltar polêmica, né? Sem fugir de qualquer pergunta, o novo secretário também falou sobre como pretende “driblar” a limitação do STF na atuação em comunidades. E defendeu mais uma vez o uso de helicópteros, que segundo ele, traz superioridade bélica, é útil e evita confronto:

“Tudo funciona como um tripé. A inteligência joga pra investigação, que transfere para a ação. O STF afirma que só pode usar helicóptero em estado de exceção... E eu entendo que traficantes armados com fuzis circulando e barricadas pegando fogo estão incluídos nessa situação excepcional.”

Turnowski completou: “O uso é justamente para evitar que os bandidos circulem disparando e também para que não sejam preparadas armadilhas e barricadas contra o blindado. Serve para preservar a integridade do cidadão e também do policial.”



PINGO NO I

Aturar uma confusão dessa é dose pra cachorro... Na segunda a coluna falou do empenho da Subsecretaria de Proteção e Bem-Estar Animal (Supan) no caso do Pitbull Thor.

E ontem, o órgão, que é ligado à Secretaria de Saúde, foi extinguido pelo governo do estado, em decreto. Só pode ser sacanagem! Em meio a um caso tão importante, no período em que uma lei mais rígida em favor dos animais é sancionada pelo presidente da República, o estado faz isso?

Ainda bem que o governador em exercício voltou atrás e resolveu tornar sem efeito a decisão! Cláudio Castro afirmou que assim que o decreto for revogado, a Supan será transferida para a Secretaria Estadual de Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Nada mais sensato!

Bora colocar o Pingo no I... Não é hora de retroceder em nada! Bicho não é brincadeira.


TÁ FEIO!

Que assalto em ônibus já virou rotina na cidade, isso não é nenhuma novidade... Mas é incrível como o trabalhador carioca não tem sossego!

Na madrugada de ontem, passageiros que estavam num ônibus da Viação Regina foram surpreendidos por bandidos que entraram na Central do Brasil e só desceram na Rodovia Washington Luiz, altura de Imbariê.

Levaram tudo! Não deu tempo nem de salvar o Bilhete Único.

“Eu estava cochilando, acordei assustado. Apagaram a luz do ônibus e fizeram a limpa. Ainda tinham dois carros atrás, fazendo a escolta. É cansativo, mas a gente tem que trabalhar”, conta um passageiro que tinha saído do plantão de um hospital. Ele não quis ser identificado por medo.

No Rio de Janeiro é assim... Você sai com medo de contrair o vírus, mas acaba batendo de frente é com verme da pior espécie.

Se você me perguntou se tá feio ou tá bonito... Os velhos problemas continuam, só pioram e tenho dito.

Comentários