Moradores da Baixada em busca de qualidade de vida

Com preços mais em conta que na capital, imóveis de Petrópolis atraem novos interessados

Por

Bárbara, de Caxias, se mudou com a família para Petrópolis. Eles vão sair do Quitandinha para Nogueira
Bárbara, de Caxias, se mudou com a família para Petrópolis. Eles vão sair do Quitandinha para Nogueira -

O tempo de deslocamento até o trabalho é um dos principais fatores que influenciam na escolha da moradia. Para a família da educadora carioca Bárbara Rangel Bezerra, de 32 anos, não foi diferente. Há dois anos eles se mudaram de Duque de Caxias para Petrópolis, já que o marido, funcionário público da prefeitura da cidade serrana, gastava pelo menos 45 minutos no trajeto. "Foram 10 anos indo e vindo, é bem cansativo", lembra.

Trabalhando no Centro de Petrópolis há 12 anos, o caxiense Luís Henrique de Vasconcelos Bezerra, de 40 anos, está prestes a dar mais um passo com Bárbara e os filhos, João Henrique, de 12, e Larissa, de 4: eles vão se mudar para o Bosque de Nogueira 1, da Sola Construtora, que será entregue antes do tempo previsto, em janeiro de 2021.

A família, que reside atualmente no bairro Quitandinha, terá um novo endereço: o charmoso bairro de Nogueira. "Ficamos encantados com o playground, as crianças vão poder brincar com segurança. E tem também a horta comunitária, meu marido gosta que a gente coma alimentos orgânicos e temperos naturais", empolga-se Bárbara.

O apartamento de dois quartos escolhido custou R$ 195 mil, preço 13% mais baixo que o praticado em Duque de Caxias. Em bairros cariocas próximos da Baixada, como Inhaúma, Irajá e Penha, os valores são ainda mais altos, variando de R$ 235 mil a R$ 245 mil. "Ficamos sabendo do condomínio pesquisando na internet e nas redes sociais. Optamos pelo Bosque porque fica bem localizado, perto de Itaipava, tem transporte público na porta. Além disso, o clima é menos úmido, o que é melhor para as crianças, que são alérgicas".

Imbariê, 3º Distrito de Caxias, onde morava a família de Bárbara, fica a 24 quilômetros de Petrópolis. "Além de insegura, é desgastante a viagem".

Comentários

Últimas de O Dia na Baixada