O bate-papo entre amigos que virou negócio

Frutos de amizades, Colarinho Branco e Gigante Nordestino são alternativas para quem está em Nova Iguaçu

Por O Dia

Colarinho Branco presa pela qualidade e temperatura do chope
Colarinho Branco presa pela qualidade e temperatura do chope -

Rio - Qual a importância de bares e restaurantes no dia a dia das pessoas, principalmente na Baixada? Foi justamente essa pergunta que os amigos Alan Marques, Armando Fernandes e Eduardo Correia se faziam quando confraternizavam em uma mesa de bar. Levou pouco tempo para que o questionamento virasse a mais nova atração gastronômica do bairro Rancho Novo, em Nova Iguaçu. Hoje, cinco anos após a fundação, o Colarinho Branco segue não apenas como referência do bairro, mas de toda a cidade iguaçuana.

Com poucos estabelecimentos ao estilo pretendido pelos três amigos, a abertura do restaurante foi fundamental para preencher uma carência percebida por eles. "Nossa aposta é a qualidade do chope, bem gelado e bem tirado. Além de um cardápio de tira-gostos de excelência, também conseguimos atender a todos os públicos, que variam desde os mais jovens às famílias inteiras", conta Alan Marques. O funcionamento do Colarinho Branco é de terça a domingo, das 17h à meia-noite. O endereço é Rua Ocidental 10.

Outro restaurante bastante frequentado, e que tem como proprietários o trio de amigos, é o Gigante Nordestino, especializado na comida da Região Nordeste, porém com um toque contemporâneo. Os estabelecimentos são vizinhos, portanto, vale a visita em sequência. Pastéis de carne de sol, requeijão de corte, carne seca e rabada com angu são alguns dos destaques e custam a partir de R$ 6,90, a unidade. O endereço é Rua Luis sobral 1.260.

 

Galeria de Fotos

Colarinho Branco presa pela qualidade e temperatura do chope Divulgação
Colarinho Branco Divulgação
Fundadores também receberam o Troféu Delícias da Baixada, de O DIA Gilvan de Souza

Comentários