De cor em cor

Pimpolhos da Grande Rio vai levar a inclusão para a Sapucaí. Escola mirim vai falar sobre igualdade racial na Avenida

Por O Dia

Pimpolhos da Grande Rio
Pimpolhos da Grande Rio -

Se é na escola que se aprendem boas lições, na Grande Rio a garotada está aprendendo uma das mais importantes: a inclusão. A garotada da agremiação vai levar para a Avenida uma reflexão sobre qual seria a real cor de pele, num mundo com tanta diversidade. O enredo 'A Cor de Coraline' é inspirado no livro infantil de mesmo nome.

Na publicação de Alexandre Rampazo, Pedrinho solta a frase "Coraline, me empresta o lápis cor de pele?" Ela, confusa, começa a procurar na sua caixa de lápis de cor, com 12 cores, qual seria o lápis que Pedrinho queria. Essa "simples" pergunta desperta uma reflexão sobre empatia e diversidade. 

"Vamos falar sobre identidade, especificamente sobre a pluralidade da cor da pele. Quando se fala 'cor de pele' muitos só pensam em bege. Mas isso não reflete a nossa realidade. Vamos chamar a atenção para essa questão", afirma Camila Soares, diretora-executiva da escola. 

O trabalho desenvolvido na quadra da Pimpolhos é de muita autoestima. Todas as oficinas têm como eixo o tema do enredo de cada ano do carnaval. "Nós vamos desmembrando durante o ano inteiro com o objetivo de mostrar sempre que todas essas crianças e jovens são capazes de seguir um caminho mais feliz e, com isso, valorizá-las, sempre. Este ano, nosso objetivo é dizer não ao preconceito, lembrando que o ser humano é diferente e há beleza nisso", pontua Camila.

Na comissão de frente, integrantes do Projeto Ballet no Samba, que oferece gratuitamente aulas de balé e jazz para crianças da comunidade, prometem um show à parte. A coreografia é assinada pela aluna Camila Dias.

"Vamos, pelo terceiro ano consecutivo, unir o samba e o balé na comissão de frente. Está linda a coreografia e conta bem a história do enredo. Teremos 15 meninas do projeto participando", diz Camila, que em 2019 foi indicada ao prêmio de Melhor Coreografia. 

PIMPOLHOS 

A escola de samba mirim foi criada em 2002 e atravessou a Marquês de Sapucaí pela primeira vez em 2003, com cerca de mil crianças. Nessas quase duas décadas de existência, a agremiação cresceu e fortaleceu sua atuação social em Duque de Caxias, levando esperança a crianças, jovens e famílias da região. A Pimpolhos vai desfilar na terça-feira de Carnaval, no dia 25, e será a segunda escola a entrar na Avenida.

VAGAS

A mistura da dança clássica e do samba no pé está dando certo há 14 anos, na Pimpolhos. O projeto Ballet no Samba, que oferece gratuitamente aulas de balé e jazz, fará audição dia 21 de março, às 11h, na quadra da Grande Rio, para recrutar novos alunos para o projeto. 

"Todos os anos oferecemos uma bolsa de formação de bailarinos, porque na comunidade muitas crianças têm talento, mas as oportunidades são poucas. Minha motivação nesses anos todos de projeto é saber que, daqui, muitas crianças terão um futuro na dança e vão poder ir muito longe", diz Adriana Miranda, proprietária da escola de dança que leva seu nome e idealizadora do Ballet no Samba. A quadra da Grande Rio fica na R. Alm. Barroso 5, no Centro de Caxias.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Galeria de Fotos

Pimpolhos da Grande Rio Divulgação
Pimpolhos da Grande Rio Divulgação
Pimpolhos da Grande Rio Divulgação
Pimpolhos da Grande Rio Divulgação
Pimpolhos da Grande Rio Divulgação
Em uma das alas, a cor dos peixes, que fala no livro, será representada Divulgação
Pimpolhos da Grande Rio Divulgação

Comentários