O samba é delas

Personalidades de Nova Iguaçu se unem para comemorar o Dia Internacional da Mulher

Por O Dia

Hoje, o Dia Internacional da Mulher será comemorado com a 1ª Roda de Samba das Mulheres Iguaçuanas, no bairro K11. O evento é um marco na cidade e tem o objetivo de fortalecer os movimentos femininos, além de trazer um alerta para o combate à violência contra a mulher na Baixada Fluminense.

Poesias, música e homenagens vão dar o tom da festa. As cantoras Raquel Lopes, Nathalia Negresco, Priscila Gouvêa e Will Barros serão as responsáveis pela roda de samba. 

O estilo musical escolhido para o evento converge com a temática defendida por essas mulheres: são símbolos de resistência. 

"A mulher, o artista, a mulher artista e ainda mãe, como eu, enfrenta diversas resistências. Muitas vezes sou olhada de forma diferente, com preconceito, e precisamos mudar isso. Eu canto desde os 3 anos, mas canto samba há quase dois anos, um estilo musical de predominância masculina. Este ano fui uma das cantoras da Inocentes de Belford Roxo e eu era a única mulher no meio de sete homens. Isso é um sinal de que ainda temos muito a desbravar. Esse evento vai dar visibilidade a mulheres desbravadoras que viraram exemplos para outras", afirma Priscila, que vai abrir a apresentação.

O projeto nasceu da percepção de Michele Pessanha e Márcia Dias, ambas de 40 anos, organizadoras do evento, de que a região possui uma carência de eventos culturais e de iniciativas para causas femininas.

Além de música e poesia, mulheres acima de 60 anos, figuras marcantes no bairro, vão receber homenagens. No dia do evento haverá também uma campanha de doação de leite em pó, para ser repassado posteriormente a instituições que atendam mulheres e crianças que se encontram em situação de vulnerabilidade social. A roda de samba começará às 13h, na Praça do K11.

"Mais do que nunca precisamos estar atuantes dentro da sociedade e ocupar os lugares públicos para grandes e pequenos eventos culturais, e falar sobre a violência contra a mulher, violência doméstica, sobrecarga do trabalho da mulher, dentre outros assuntos, que nos últimos meses vêm crescendo abusivamente. Queremos que as mulheres se encorajem, falem, reivindiquem", alerta Michele.

Comentários