Saneamento básico: de mal a pior

Cidades da Baixada estão entre as piores no ranking do tratamento de esgoto do Instituto Trata Brasil

Por O Dia

Ruas de Belford Roxo
Ruas de Belford Roxo -

Enquanto o Brasil ainda rediscute a legislação nacional acerca do saneamento básico, o novo Ranking do Saneamento Básico baseado nos 100 maiores municípios do Brasil, em parceria com a GO Associados, mostrou números alarmantes e negativos. Dentre as cidades que estão em piores condições no país, três são da Baixada Fluminense. Belford Roxo, Nova Iguaçu e São João de Meriti têm os menores índices percentuais de tratamento de esgoto.

Somente 5,57% do esgoto de Belford Roxo recebe tratamento. Já em Nova Iguaçu e São João de Meriti o percentual é zero. Os baixos indicadores de esgoto tratado nestas cidades afetam diretamente os ecossistemas pelo lançamento in natura dos esgotos sem tratamento. Córregos, rios, lagoas e praias têm a qualidade das águas comprometidas com a carga excessiva destes resíduos sem tratamento.

Às margens da Avenida Abílio Augusto Távora, em Nova Iguaçu, o bairro Ipiranga tem cenários com valas negras e esgoto a céu aberto. Na Rua Biboca e a Estrada do Ronco, por exemplo, estão em situação precária. Os moradores têm dificuldade para acessar suas residências.

"Estamos abandonados e sofremos com o descaso da prefeitura. Entra ano, sai ano e nada é feito. O esgoto corre na porta das nossas casa",  reclama a manicure kelly Cristina Sampaio.

Moradora do bairro Grande Rio, em São João de Meriti, Maiara Silva, de 31 anos, vive na Rua Tenente dos Anjos, onde há um valão com esgoto a céu aberto. Ela diz que, além do cheiro ruim, o local atrai ratos e baratas para as casas vizinhas. "Fico preocupada com os meus filhos brincando na rua. Os meninos caem no valão quando jogam bola", lamentou.

Galeria de Fotos

Ruas de Belford Roxo Arquivo O Dia
Ruas de Belford Roxo Arquivo O Dia
Ruas de Belford Roxo Arquivo O Dia

Comentários