Governo do Estado adia outra vez entrega do hospital de campanha

Inauguração da unidade de Nova Iguaçu seria hoje, mas foi cancelada. Não há nova data confirmada

Por O Dia

Obras devem ficar prontas na primeira quinzena de maio. Serão mais de 500 leitos exclusivos para pacientes com  coronavírus na cidade
Obras devem ficar prontas na primeira quinzena de maio. Serão mais de 500 leitos exclusivos para pacientes com coronavírus na cidade -

Com 1.168 casos de coronavírus confirmados e 95 mortos, o hospital de campanha de Nova Iguaçu teve a abertura adiada pelo governo do Estado mais uma vez. A inauguração estava prevista para hoje, mas foi suspensa e ainda não tem uma nova data. A situação preocupa muito, já que os 75 leitos na cidade estão todos ocupados.

Inicialmente, o hospital deveria ser aberto no dia 30 de abril, foi adiado para o dia 16 e depois para hoje, mas houve novo atraso. A unidade terá 500 leitos para atender os pacientes com covid-19, sendo 200 de campanha (40 deles de UTI) e outros 300 (120 de UTI) em uma estrutura modular, que ficará de legado para a cidade.

Com todos os leitos exclusivos para coronavírus ocupados (sendo 40 de CTI e 35 de enfermaria) e o número de casos aumentando a cada dia, o Hospital Geral de Nova Iguaçu (HGNI) acende um alerta. Sem os novos leitos que seriam abertos pela unidade de campanha, o Hospital da Posse tem sofrido com a demanda de pacientes.

O HGNI contava com apenas dez leitos no início da pandemia, há dois meses, e foi aumentando gradativamente sua capacidade de atendimento, remanejando espaços de acordo com a demanda. De acordo com a prefeitura, 81 pessoas estão internadas com covid-19, seis a mais que a capacidade total.

Questionada sobre os motivos que levaram ao adiamento da inauguração do hospital de campanha, a Secretaria de Saúde do Estado não esclareceu o que aconteceu e também não informou uma nova data. Afirmou apenas que irá anunciar um cronograma para abertura dos hospitais de campanha em breve.

SITUAÇÃO CRÍTICA

Tanto o hospital quanto a estrutura modular são de fundamental importância para Nova Iguaçu. São as ferramentas mais importantes no enfrentamento da pandemia no município. "A situação é muito crítica. Contamos com o Hospital Geral de Nova Iguaçu e mais quatro unidades 24 horas no atendimento à covid-19, portanto estamos muito sobrecarregados. Temos um terço do HGNI praticamente reservado para a covid, o que dificulta nos atendimentos a outras enfermidades. Além disso, instalamos contêineres na área externa do hospital para poder receber pacientes com coronavírus", afirma o prefeito Rogerio Lisboa.

Caso o hospital de campanha não seja logo inaugurado, o prefeito anunciou que deve ampliar o número de leitos. "Estamos na expectativa da abertura dos hospitais de campanha e modular. Se não ocorrer, vamos transformar o antigo banco de sangue em mais uma área para pessoas com esta doença".

Galeria de Fotos

Serão 500 leitos, sendo 200 na unidade de campanha (40 deles de UTI) e 300 (120 de UTI) na estrutura modular Divulgação
Hospital modular ainda está sendo montado. No canteiro de obras no Aeroclube, ainda há muitos trabalhadores Luciano Belford
Obras devem ficar prontas na primeira quinzena de maio. Serão mais de 500 leitos exclusivos para pacientes com coronavírus na cidade Luciano Belford
Obras estão devem ficar prontas na primeira quinzena de maio Divulgação
Hospital de campanha Divulgação
Hospital de campanha Divulgação
Operários ainda trabalham na montagem do hospital de campanha Estefan Radovicz / Agencia O Dia
170520 - CORONAVIRUS - Inauguração do Hospital de Campanha de São Gonçalo nao acontece nesse domingo como estava marcado. Na foto, o canteiro de obras da unidade. Estefan Radovicz / Agencia O Dia CIDADE,RIO, SAOGONCALO,CORONAVIRUS Estefan Radovicz / Agencia O Dia

Comentários