Artistas de Queimados podem se cadastrar para ter benefício de R$ 600

Promessa é de que dados levantados também sejam utilizados para ações futuras,

Por O Dia

Profissionais da Cultura de Queimados ficaram sem fonte de renda desde março, quando forma proibidas apresentações ao público
Profissionais da Cultura de Queimados ficaram sem fonte de renda desde março, quando forma proibidas apresentações ao público -
Profissionais da Cultura que moram em Queimados podem, desde terça-feira, cadastrar-se para receber o auxílio de de R$ 600 por três meses através da recém-aprovada Lei Aldir Blanc (PL 1075/2020). Artistas, técnicos, produtores e trabalhadores que atuam na produção terão direito ao benefício.
O cadastro será feito Secretaria Municipal de Cultura e Turismo de Queimados (Semuctur) e os interessados devem preencher o formulário disponibilizado nas páginas do Facebook da pasta e também do Conselho Municipal de Cultura.
Com os dados dos profissionais da área, a Semuctur promete futuras ações e benefícios. "Independentemente da adesão a esta lei específica, podemos criar uma ferramenta de contato para empresas que queiram conhecer os artistas locais e disponibilizar um extrato do cadastro no site oficial do município", explicou o presidente do Conselho Municipal de Cultura de Queimados, Leandro Santanna.
Para receber o benefício, os trabalhadores do setor cultural devem comprovar atuação nos últimos dois anos e ter rendimentos de até R$ 28.559,70 em 2018. Quem possui emprego formal ativo ou recebe algum tipo de benefício do Governo, inclusive o auxílio emergencial, não tem direito.
Espaços artísticos e micro e pequenas empresas culturais que tiveram as suas atividades interrompidas por conta das medidas de isolamento social também poderão pedir ajuda, que no caso varia R$ 3 mil a R$ 10 mil. Como contrapartida, deverão realizar, após o fim do isolamento social, atividades gratuitas para alunos de escolas públicas ou em espaços públicos.

Comentários