O doce sabor da virada

Confeiteira de Duque de Caxias cria projeto que ensina a empreender com a venda de bolos e doces

Por O Dia

Confeiteira e empreendedora, Michelle aposta nas suas aulas como ferramenta de transformação econômica
Confeiteira e empreendedora, Michelle aposta nas suas aulas como ferramenta de transformação econômica -

Há oito anos, Michelle Cristian, de 44 anos, fabrica bolos, tortas e doces em geral para vender. Moradora de Santa Cruz da Serra, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, ela também foi uma das empreendedoras da região que teve seu negócio impactado pela pandemia. Apesar disso, foi justamente neste período que a virada de jogo aconteceu. Como muitos, ela decidiu enxergar as novas possibilidades que a crise gerou e fundou o projeto 'Confeitaria Empreendedora', onde ministra aulas para aqueles que desejam se lançar no mercado.

Formada em Química, ela se diz feliz em poder ajudar a formar novos profissionais e faz questão de citar uma de suas inspirações. "Descobri que também tenho um papel importante com a sociedade. Não é só vender. Me vi na responsabilidade de colaborar com outras pessoas que estavam em busca de uma retomada. Quero agregar valor ao negócio deles com uma forma diferente de ensinar. Eu uso meus conhecimentos em química para criar receitas baratas e lucrativas. O aluno chega sem qualquer experiência e sai com um produto pronto para ser comercializado. Tudo o que é produzido em aula é vendido por eles. Muita coisa que ensino aprendi com a professora Flavinha Rezende. Sou muito grata à ela", diz a empreendedora.

Tudo é ensinado em seu ateliê, localizado no bairro onde mora. Entre as aulas mais procuradas estão fabricação e decoração de bolos e doces de festas. "Tenho até alunos de fora da cidade. É muito gratificante saber que nosso trabalho está ajudando outras pessoas. Muitos deles buscam formalizar o negócio, decidem investir de verdade", afirma Michelle.

Uma dessas pessoas é a Rose, moradora da Zona Norte do Rio. Às vésperas de inaugurar sua primeira loja, ela se diz orgulhosa por conseguir colocar em prática o aprendizado. "Agora sei o que é ter uma visão diferenciada. Me posicionei no mercado. Hoje, minha renda, que aumentou durante a pandemia, vem da venda dos bolos", diz.

Galeria de Fotos

Confeiteira e empreendedora, Michelle aposta nas suas aulas como ferramenta de transformação econômica Divulgação
Michelle (de preto, à esquerda) e suas alunas comemoraram a formação em confeitaria Divulgação

Comentários