Clarice Santos no lançamento da Central de Intérpretes de Libras em Belford Roxo - Rafael Barretto/Divulgação PMBR
Clarice Santos no lançamento da Central de Intérpretes de Libras em Belford RoxoRafael Barretto/Divulgação PMBR
Por O Dia

A Fundação de Desenvolvimento Social de Belford Roxo (FUNBEL) lançou na última sexta-feira (25) a Central Municipal de Intérpretes de Libras (Cemil). O evento na Câmara Municipal integrou I Fórum de Acessibilidade em Libras de Belford Roxo. O dia escolhido teve valor simbólico, já que no sábado (26) foi celebrado em todo o país o Dia Nacional dos Surdos. A Cemil terá, entre outras funções, fornecer aos órgãos e repartições municipais profissionais habilitados a intermediar a comunicação da pessoa surda, usando a língua de sinais, com aqueles que estejam em dificuldade por se fazer compreender. O atendimento pela Cemil se dará de forma presencial ou remota. Belford Roxo é o primeiro município da Baixada Fluminense a contar com uma central de libras.

"A linguagem é uma parte integrante no desenvolvimento do ser humano. A falta dela tem graves consequências para o indivíduo no que se refere ao seu desenvolvimento emocional, social e intelectual. Além de receber com a acessibilidade o deficiente auditivo, A Cemil também buscará a inserção do surdo no mercado de trabalho, através de parcerias importantes com a Secretaria Municipal de Trabalho e o Conselho Municipal de Trabalho, Emprego e Renda", destacou a presidente da Funbel, Clarisse Santos. O pioneirismo de Belford Roxo na criação da central foi destacado também por Carlos Fidalgo. Intérprete da Linguagem Brasileira de Sinais (Libras) e parceiro da Funbel na implementação do projeto.

A criação da Cemil atende a Lei 1.162 aprovada pela Câmara Municipal, e sancionada pelo governo municipal. Adesivos serão afixados de forma visível nos órgãos municipais com o símbolo da Cemil facilitando o atendimento ao público com surdez. A Funbel fica responsável pela implantação da Cemil., que se dará inicialmente com a gradual transferência de profissionais de seu quadro técnico para a nova estrutura da Central, que deverá ter, pelo menos, um profissional com Licenciatura em Letras - Português/Libras e habilidade fluente na Língua Brasileira de Sinais - Libras.

O I Fórum de Acessibilidade em Libras contou com a palestra da professora surda e instrutora de Libras, Adriana Veiga, ex-aluna do INES (Instituto Nacional de Educação de Surdos) e instrutora de libras da Feneis (Federação Nacional de Educação e Integração dos Surdos). A palestrante contou sua trajetória de vida e suas dificuldades de desenvolvimento ao longo dos anos.

"Belford Roxo está de parabéns com esse pioneirismo" ressaltou Adriana Veiga, que atualmente atua na Secretaria de Educação de Duque de Caxias.

Você pode gostar
Comentários