Além do projeto, Casa de Passagem atende seis pessoas - Divulgação/Prefeitura de Magé
Além do projeto, Casa de Passagem atende seis pessoasDivulgação/Prefeitura de Magé
Por O Dia

Das 59 pessoas em situação de rua acolhidas pelo projeto de abordagem social da prefeitura de Magé desde o ano passado, 26 já conseguiram retornar ao convívio familiar, comunitário e conquistaram autonomia profissional.

A equipe da Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos (SMASDH) acolhe e oferece melhor qualidade de vida para os moradores de rua. Formada por psicólogo, assistente social e educador social, o grupo percorre as ruas da cidade todas as terças, quartas e quintas-feiras, e um sábado por mês, para realizar resgate voluntário.

Segundo a coordenadora da Proteção Social Especial, Mônica Oliveira, a pasta promove, além do processo de saída das ruas, o acesso à rede de serviços e benefícios socioassistenciais, como o encaminhamento para abrigos provisórios e Casa de Passagem.

"Nós também identificamos as famílias e indivíduos com direitos violados, a natureza das violações, condições em que vivem, estratégias de sobrevivência, procedências, aspirações, desejos e relações estabelecidas com as instituições", explicou a coordenadora.

Durante a pandemia da Covid-19, seguindo todas as medidas de segurança necessárias, os profissionais realizaram 17 reinserções familiares, sendo três para os estados de Minas Gerais e São Paulo. Em outubro, após 15 anos longe da família, a equipe reintegrou um acolhido à família, que vive em São Paulo.

"Nós o encontramos exaltado devido ao uso do álcool, e muito sujo. Até que identificamos a necessidade de acolhê-lo na ala de Psiquiatria no Hospital Municipal de Magé, pelos comprometimentos que apresentava. Ele recebeu todo o suporte necessário, teve ajuda para conseguir toda sua documentação e carteira de trabalho já com encaminhamento para inscrição no Cadastro Único", detalhou Mônica Oliveira.

Atualmente, a Casa de Passagem atende seis pessoas, oferecendo refeições completas, quartos, e uma equipe multidisciplinar formada por técnicos do Serviço Social, psicólogos, vigias, cuidadoras, educador social, agente administrativo, cozinheiras e auxiliar de cozinha.

Quem desejar enviar informações sobre as pessoas em situação de rua, pode entrar em contato com o CREAS pelo telefone (21) 3630-7220. A unidade está localizada na Rua Coronel Theotonio Botelho, 29, Centro, e funciona de segunda a sexta-feira das 9h às 17h.

Você pode gostar
Comentários