A Arte Salva atende 60 moradores das favelas 4 Rodas e Rampinha, no jardim Gramacho, em Caxias - Igor Albuquerque / Divulgação
A Arte Salva atende 60 moradores das favelas 4 Rodas e Rampinha, no jardim Gramacho, em CaxiasIgor Albuquerque / Divulgação
Por O Dia

Hoje é comemorado o Dia de Doar, movimento criado em 2012 para promover a doação em todo o mundo — no Brasil, a data passou a ser comemorada em 2013. E, para incentivar a ajuda ao próximo, o projeto solidário A Arte Salva faz uma campanha especial para arrecadar material e fundos para reformar o espaço físico que ganhou. A empresa de impacto social sem fins lucrativos foi criada pela atriz Karina Duarte e atende 60 jovens e crianças, entre 4 e 21 anos, todos moradores das comunidades 4 Rodas e Rampinha, no Jardim Gramacho, em Duque de Caxias.

"A Arte Salva mudou completamente o meu olhar pela vida, pelo ser humano. Me tornou uma pessoa mais tolerante, equilibrada, diante de um problema consigo neutralidade para observar e analisar as causas, versões e verdades. Me fez conhecer um universo tão distante, mas ao mesmo tempo tão próximo. O projeto também me fez crescer como mulher, como feminista, como ativista. Trouxe para minha vida foco, fé, a oportunidade de semear amor e a responsabilidade de ter mais cuidado com nossa vida na Terra", afirma ela, que começou com suas ações há cinco anos e meio.

O projeto não dá apenas acesso à educação aos moradores, em sua maioria filhos de catadores de materiais recicláveis, mas também permite que convivam com pessoas preocupadas em promover o bem-estar deles. Antes, muitas dessas crianças e adolescentes passavam muito tempo sozinhas enquanto seus pais lutavam para garantir o sustento da família. Também já foram realizados passeios culturais, como idas ao cinema, visita à exposição na Cidade das Artes e uma vivência conjunta com crianças da etnia indígena Anambé e Pataxó no Parque Lage.

"Também conseguimos a doação de 210 kits escolares, 200 kits de roupas infantis e 300 calçados, buscando sempre atrair apoios e novas iniciativas para atender a comunidade. Além de coordenar todo o projeto também travo uma luta diária que busca incentivar pessoas a se tornarem voluntárias. É essencial que os cidadãos se conscientizem da importância do trabalho voluntário. Muitas pessoas desconhecem outras realidades e problemas sociais que assolam famílias cariocas", explica Karina.

"Precisamos e prezamos todas as formas de doações que nos chegam, no entanto, vibramos verdadeiramente quando, além deste apoio material, também vem junto a presença física, o sorriso, o abraço, que faz toda diferença na vida das nossas crianças. Quem se disponibiliza a participar das nossas ações pela primeira vez, sempre quer voltar. É um amor renovador e transformador", completa ela.

Karina também conta com incentivo e apoio de atores como Antônio Pitanga, Chico Dias, Babu Santana, Hélio de La Peña, MV Bill, Mariana Ximenes, Osmar Prado, Katiuscia Canoro, Lorena Comparato, Sergio Penna, entre outras personalidades. A primeira vitória dessa caminhada foi o espaço físico que receberam como doação da Retornar, instituição que, por meio da venda de produtos, apoia entidades sem fins lucrativos. "Essa doação foi a maior demonstração de amor que podíamos ter recebido. É a realização do nosso maior sonho. Agora precisamos de ajuda para reformar todo o espaço, pois adaptando a casa para uma escola de artes conseguiremos atender 80 alunos. E o dia de doar é uma grande oportunidade. Pedimos ajuda de todos", conta a jovem.

Uma das ajudas que eles recebem é a doação de telas da empresa Souza. E a ajuda chegou de uma forma inusitada: um pedido ao Papai Noel. "Começou com uma criança, que gostou de ser chamada, de artista, e pediu uma tela para o Papai Noel. A primeira doação foi de 60 telas, através de outro projeto também beneficiado por eles. Hoje, nós e outras ONGs somos beneficiados pelas doações deles", afirma a atriz, de 34 anos.

Nascida em Embu das Artes (SP), Karina morou durante cerca de 12 anos no Morro do Vidigal, onde fez parte da geração de artistas formadas pelo Grupo Nós do Morro. Ela conheceu Jardim Gramacho em 2012, quando participava como voluntária de ações da ONG Corrente Pelo Bem no bairro. Atualmente, ela se divide entre Rio e São Paulo. Voltou a morar em seu estado para a finalização e ampliação de seu projeto. Vivendo na Terra das Artes, ela fez cursos de pintura e cerâmica, para se especializar e poder levar o melhor para as crianças. Ela também deu aulas na Escola Vidigal do Vik Muniz, que serviram como laboratório para obter seu próprio método de alfabetização teatral.

Para saber como ajudar o projeto, basta acessar o site www.aartesalva.com ou enviar um e-mail para [email protected]

 

Você pode gostar
Comentários