Os brizolões e o Rio: 35 anos dos Cieps

Maio de 2020 se foi e com ele a memória cada vez mais frágil de um projeto de Educação que completou três décadas e meia neste mês

Por O Dia

 Brizola pulando fogueira feita de armas de brinquedo, em Irajá
Brizola pulando fogueira feita de armas de brinquedo, em Irajá -
Rio - Uma foto de 1982 que entrou para a história do Rio: no conjunto Amarelinho, em Irajá, o então candidato ao governo do estado, Leonel Brizola, pula uma fogueira feita com armas de brinquedo. A simbologia da imagem reflete sua principal bandeira: Brizola, ao lado do professor Darcy Ribeiro, representava a correta ideia da Educação pública de qualidade como sendo a principal arma que deveria ser empunhada por crianças e jovens.
Maio de 2020 se foi e com ele a memória cada vez mais frágil de um projeto de Educação que completou 35 anos neste mês: estamos falando dos Centros Integrados de Educação Pública, os Cieps, projeto que foi o principal símbolo dos governos de Leonel Brizola no RJ (1983-1986 e 1991-1994). Sua representação é de um projeto de Educação inclusiva e democrática, a frente de seu tempo para a realidade brasileira, mas que foi boicotado em diversas frentes políticas e sociais, de esquerda e de direita.
Os "brizolões", como passaram a ser chamadas as unidades, tinham o objetivo de fornecer não só a alunos e alunas, mas também às suas famílias, uma perspectiva positiva de futuro; com ensino integral e plural, o foco era na educação cidadã.
As centenas de unidades dos Cieps estão espalhadas pelo estado, principalmente em áreas mais carentes. Algumas revitalizadas, outras totalmente desfiguradas e abandonadas. Nos subúrbios do Rio, a memória de ex-alunos e ex-alunas é sempre carinhosa; lembram das refeições feitas ao longo do dia, do banho tomado, dos atendimentos odontológicos e das atividades extra-curriculares.
E na realidade de nossos dias, quando 73% das escolas municipais do Rio se encontram sem manutenção adequada para seu funcionamento, o projeto dos Cieps está aí no imaginário para ser resgatado e tomado como norte para os próximos anos.

Patrimônio histórico e urbanístico municipal desde 2010

A primeira unidade data do dia 8 de Maio de 1985. O Ciep 001 fica no Catete e leva o nome de Tancredo Neves. A escolha do nome foi em homenagem ao ex-presidente, falecido semanas antes da inauguração.
O projeto dos prédios foi desenhado por Oscar Niemeyer e incluía, além do prédio principal, um espaço externo amplo com quadra para esportes e sala de atividades literárias.
oje, apesar de serem bens públicos tombados como patrimônio, algumas unidades municipais do Rio estão sendo desfiguradas para ampliação de salas.

No Rio Grande do Sul, as brizoletas

Entre 1959 e 1963, Brizola governou o Rio Grande do Sul. Enquanto governador do povo gaúcho, fez também da Educação sua principal bandeira. Metade da população do estado morava no campo e um terço da população riograndense era analfabeta.
Quando assumiu o governo em 1959, Brizola começou a instalar as chamadas "brizoletas", pequenos colégios de madeira onde alunos e alunas ganhavam calçado e material escolar. Foram seis mil unidades erguidas.

Comentários