Macumba dos artistas desencarnados

Em um Axé Quântico do Culto dos Esquecidos na Barra, médium incorpora Frank Sinatra da Cachoeira, Clara Nunes e John Lennon. Teve até atriz de Malhação no centro do salão para receber espírito ao som do piano de Tom Jobim

Por André Gabeh

Rio - Minha amiga Coisilda me convidou pra conhecer um "trabalho espiritual diferente".
Segunda-feira, às cinco da tarde em ponto, deveríamos estar prontinhos em uma certa mansão chiquíssima na Barra.
Perguntei do que se tratava e ela me falou:
- É um babado fortíssimo. Uma coisa chamada Axé Quântico do Culto dos Esquecidos. (Lógico que não estou dando o nome real, porque não quero ser processado ou envuduzado. Mas era quase isso).
- Que coisa é essa? - perguntei curioso.
- É bom, André. Vai um monte de artista. Até artista que já morreu frequenta.
- Creindeuspai! Tá amarrado. Por que você está me convidando pra isso? Você sabe que eu rio quando fico nervoso.
Ela me explicou que suas outras companhias macumbísticas não gostam de nada que fuja ao tradicional, mas eu poderia apreciar por ser algo inusitado.
- Tem buffet de massas e degustação de vinhos selecionados pela pomba gira residente e música ao vivo com um médium que incorpora cantores internacionais. Tem exu astrólogo.
- Mulher, tô até bambo. Deus castiga. Como isso existe e ainda não virou notícia?
- Ainda vai ter cerveja artesanal feita por caboclos cervejeiros.
- Isso é muita marmota. Quero.
- Também acho. Tô horrorizada. E tudo de graça.
- Vamos!
Fomos de BRT até CURICICA e de lá pegamos um táxi pra não passarmos por pobríssimos ao chegar. A mansão imensa estava cheia de gente rebolativa num transe esotérico meio Olodum meio dança indígena. Nos receberam com pulinhos coreografados e gritos de SARAVÁ NAMASTÊ. Tive um pico de ansiedade e comecei a suar que nem vaca parindo. Um dos rapazes girantes, todo de branco, se aproximou e pediu pra gente pular e gritar junto, porque assim os orixás sorririam pra nós. Aleguei chikungunya e disse que só pulava fugindo dos ratos da Praça da UPA de Campinho quando ia pegar medicação. Tenho princípios!
No salão, um homem parecido com o Décio Piccinini tocava e cantava uma versão umbanda de Fly Me To The Moon: "Salve pai Ogum! Salve Caboclo Tupinambá. Axé pra Oxum e fé na Índia Juremá" (cantem no ritmo da música e sintam meu drama).
Petrifiquei.
Um dos presentes me explicou que era Frank Sinatra da Cachoeira incorporado no médium.
Gente… Chorri: chorei e ri.
Frank desencorporou e, em seu lugar, entrou Clara Nunes cantando uma música que Tim Maia ensinou pra ela em "Nosso Lar". Assim que ela terminou a canção, foi embora e foi substituída por John Lennon. Todos tinham a mesma voz e jeito de cantar. Achei prático.
Descobrimos que a reunião era um "espaço" pra entidades modernas e praquelas rejeitadas em terreiros tradicionais por serem muito diferentes ou polêmicas.
Ficamos curiosos sobre essas entidades e nos explicaram que hoje seria o dia dos marginalizados e dos interplanetários.
Soltei outro Creindeuspai e me urinei um pouco, tenho pavor de E.T.s, óvnis e afins, mas nossa explicadora se iluminou em um sorriso e explicou: "São lindos e poderosos, você ficaria surpreso em saber que Ghandi e Marilyn Monroe são E.T.s. Dercy Gonçalves também".
Dercy eu já imaginava.
Coisilda se arvorou:
-Tenho anos de macumba e, no subúrbio, essas entidades não aparecem. Acho que não sabem pegar BRT na Alvorada.
O ápice da noite foi quando uma moça que me disseram que era atriz de Malhação, foi pro centro do salão incorporar, e os frequentadores começaram a cantar acompanhados pelo piano do médium que agora estava encavalado de Tom Jobim:
"Ela é mais forte que muito ômi
Se encontra luta, não foge não!
Qualquer covarde, teme o seu nome,
Ela é, ela é, A POMBA GIRA SAPATÃO"
Longe de mim ter lgbtfobia espírita, até gosto, mas fiquei surpreso. Prendi o riso com tanta força que fiquei tonto.
Coisilda não sabia o que fazer, mas quando a zeladora do terreiro Disney veio lhe perguntar o que estava acontecendo, ela respondeu que eu tenho muita sensibilidade e que fiquei zureteado com a energia do lugar. Ganhei uma aplicação coletiva de Reiki do Alto Xingu.
Saímos de fininho.
Pegamos o BRT em avançado estado de "CREDO, QUE DELÍCIA" e só rimos dois dias depois.

Comentários