Visando garantir que os moradores de Volta Redonda compre produtos sem preços abusivos, devido a pandemia, o Procon realizou fiscalização nos supermercados do bairro Aterrado - Divulgação
Visando garantir que os moradores de Volta Redonda compre produtos sem preços abusivos, devido a pandemia, o Procon realizou fiscalização nos supermercados do bairro AterradoDivulgação
Por O Dia
Volta Redonda - Para garantir que os moradores de Volta Redonda não comprem produtos com preços abusivos, devido a pandemia do coronavírus, o Programa de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon) realizou nesta sexta-feira, dia 17, uma fiscalização nos supermercados do bairro Aterrado.
O órgão pediu que as notas fiscais fossem apresentadas no prazo de cinco dias sobre os preços praticados pelos supermercados. Outros estabelecimentos também estão sendo fiscalizados com as farmácias e na próxima semana a equipe vai percorrer outros comércios, conforme informou o Procon.
Publicidade
Segundo o coordenador do Procon, Elder Correa Barbosa, foi dado prazo para que as notas fiscais dos estabelecimentos sejam apresentadas para o órgão.
“É necessário fazer um estudo, alguns preços realmente estão maiores que alguns meses atrás. Muitos desses produtos estão sendo passados com valores mais altos, porém estamos averiguando se esse acréscimo está sendo um valor razoável para o consumidor. Queremos ver o valor que esse comerciante comprou o produto do fornecedor e saber se o preço repassado é justo, por isso o prazo para a apresentação da nota”, contou.
Publicidade
O prefeito Samuca Silva também comentou sobre as inúmeras reclamações que chegam sobre valores que estão fora do preço normal.

“Estamos recebendo diversas denúncias de preços abusivos, devido à crise que COVID-19. Sabemos que muitos fornecedores também subiram seus preços, mas temos que proteger a população e fazer com que o preço seja justo. Nunca vivemos um momento assim, e o isolamento social está refletindo na economia, porém temos que ter responsabilidade e garantir o direito do consumidor”, comentou o prefeito Samuca Silva.
Em caso de dúvidas ou reclamações, o consumidor poderá entrar em contato através do telefone (24) 3339-9205 / 3339-9206 ou através do email:
[email protected]