Cestas básicas são entregues para estudantes da rede municipal de Volta Redonda

Ao todo, 23 mil unidades serão doadas para as famílias dos alunos da cidade

Por O Dia

23 mil cestas básicas serão doadas para as famílias dos estudantes da rede municipal de Volta Redonda
23 mil cestas básicas serão doadas para as famílias dos estudantes da rede municipal de Volta Redonda -
Volta Redonda - Cerca de 23 mil cestas básicas serão entregues para os alunos da rede municipal de ensino que realizavam alimentação nas unidades escolares em Volta Redonda. A Secretaria de Educação (SME) de Volta Redonda informou que acompanha e fiscaliza a entrega dos alimentos.

Nesta quarta-feira, dia 06, a secretária de Educação, Rita Andrade e o presidente da Fundação Educacional de Volta Redonda (Fevre), Waldyr Bedê, realizaram uma visita ao Colégio Professora Delce Horta Delgado, no bairro Aterrado, para acompanhar a distribuição.

“Com as aulas suspensas devido ao combate ao coronavírus, a educação vem se reinventando. A distribuição das cestas é uma ação do projeto ‘Cidade Solidária’ e vai ajudar muito as famílias dos alunos”, destacou a secretária municipal de Educação, Rita Andrade.

Segundo a diretora do Colégio Professora Delce Horta Delgado, Fátima Romão, enfatizou que a distribuição das cestas básicas segue o critério adotado na rede pública municipal.

“Os alunos priorizados para o fornecimento das cestas básicas são aqueles que merendam na escola. Realizaram uma denúncia afirmando que existem exigências para receber a cestas, e uma delas é ser beneficiário do Bolsa Família. Isso não é verdade, entramos em contato com todos os responsáveis oferecendo esse auxilio, muitos pais disseram não necessitar”, informou a diretora.

De acordo com informações da secretaria de educação, a distribuição das cestas básicas visa proporcionar uma alimentação saudável para os alunos enquanto as aulas estão suspensas. A ação faz parte do projeto ‘Cidade Solidária’, que tem o objetivo de diminuir o impacto das restrições sociais por conta do combate ao novo coronavírus.

“Pessoas que não conhecem os critérios adotados na distribuição das cestas básicas, sem buscar informações, vem postando mensagens nas redes sociais e nos meios de comunicação, claramente com objetivo políticos para atingir ou denegrir a qualidade dos serviços prestados e colocados à disposição da comunidade, pelos órgãos públicos que atuam na área educacional do município”, explicou Waldyr Bedê, presidente da Fevre.

Comentários