Setor de saúde mental amplia atendimento em Volta Redonda durante a pandemia

70% dos pacientes já inseridos no setor, que foram atendidos no mês de abril, tiveram agravamento do transtorno devido ao coronavírus

Por O Dia

Pacientes já inseridos no setor de Saúde Mental de Volta Redonda tiveram agravamento do transtorno devido a pandemia do coronavírus
Pacientes já inseridos no setor de Saúde Mental de Volta Redonda tiveram agravamento do transtorno devido a pandemia do coronavírus -
Volta Redonda - O setor de Saúde Mental da Secretaria Municipal de Saúde de Volta Redonda registrou um aumento no número de atendimentos realizados neste período de combate ao novo coronavírus. Durante este tempo de pandemia, os atendimentos acontecem por telefone. De acordo com as informações da Secretaria de Saúde são muitas as pessoas que estão sofrendo por conta do isolamento social.

O levantamento destacou ainda que 70% dos 2.074 pacientes atendidos em abril tiveram agravamento do transtorno devido à pandemia do coronavírus. Desse total, 873 foram atendidos via telefone, o que não acontecia antes da pandemia. O setor de Saúde Mental registrou ainda que 30% dos atendimentos presenciais foram disponibilizados a novos usuários que desenvolveram algum tipo de transtorno por conta do isolamento.

A psiquiatra Marina Ferreira Carvalho Marina, que atende em uma das unidades do Centro de Atenção Psicossocial (CAPS) de Volta Redonda, destacou que os transtornos mentais são condições que afetam o indivíduo em todos os contextos da sua vida.

“São alterações de humor, pensamento e comportamento em que percebemos como problema de saúde quando trazem prejuízos ao dia a dia das pessoas”, explicou a médica.

De acordo com a psiquiatra neste período de pandemia, é possível observar um aumento, principalmente, nos casos de ansiedade, depressão e transtorno obsessivo-compulsivo.

“Isso acontece porque o transtorno mental é causado por uma interação de fatores como hereditariedade, fatores biológicos/psicológicos e, principalmente, fatores ambientais que englobam fatores sociais e culturais. Em tempos difíceis como o que estamos vivendo, é importante proteger a sua saúde mental”.

A psiquiatra passou algumas dicas para ajudar a minimizar os danos causados durante o isolamento social: cuidar da rotina, organizar horário de trabalho, fazer atividade física em casa, manter horários de sono e refeição, se alimentar de forma saudável, fazer atividades prazerosas fora dos ambientes de risco e aglomerações e ter informações sobre a pandemia somente por veículos de credibilidade, evitando as fake news.

Outras 204 pessoas impactadas pelo isolamento social devido a Covid-19 já foram atendidas pelo acolhimento psicológico, via telefone, criado pela Prefeitura de Volta Redonda, através da Secretaria Municipal de Saúde, desde o dia 02 de abril. Desse total, 176 são mulheres e 28 homens. Dentre os principais atendimentos, 104 são de situações de ansiedade, 32 orientações gerais, 29 questionamentos ligadas a Covid-19, 12 de pânico, 06 de depressão, 03 de situações clínicas, 06 de suicídios e 12 outros assuntos.

O serviço, que conta com uma equipe composta por 24 psicólogos, está à disposição da população de segunda a sexta-feira, das 8h às 22h, através dos números: 3339-9154, 3339-9674 e 3339-9158.

O prefeito Samuca Silva destaca que a administração municipal vem criando estratégias para conter a propagação do vírus na cidade e por isso é tão importante que todos permaneçam em casa.

“Não existe outra forma de achatar a curva de contaminação sem ser a restrição social. Por isso estamos criando formas para atender a quem tiver algum tipo de transtorno durante a pandemia. Queremos cuidar integralmente das pessoas”, disse o prefeito.

Comentários