Atividades físicas na Beira Rio e nos campos do Aero Clube estão proibidas em Volta Redonda

A partir de quinta-feira, dia 21, a medida de combate ao coronavírus começa a valer

Por O Dia

A Avenida Beira Rio e os campos do Aero Clube, em Volta Redonda, não poderão a partir desta semana serem usados para atividades recreativas e esportivas
A Avenida Beira Rio e os campos do Aero Clube, em Volta Redonda, não poderão a partir desta semana serem usados para atividades recreativas e esportivas -
Volta Redonda - A partir de quinta-feira, dia 21, a Avenida Beira Rio e os campos do Aero Clube, em Volta Redonda, não poderão ser utilizados para atividades recreativas e esportivas. Segundo o prefeito Samuca Silva, nos últimos dias foram verificados diversos pontos de aglomeração nesses locais, além de pessoas sem máscaras de proteção.

A medida foi anunciada durante uma transmissão ao vivo pelas redes sociais nesta terça-feira, dia 19. O prefeito lembrou a importância do isolamento social para evitar a contaminação em massa da população por coronavírus.

“Assistimos cenas absurdas de pessoas aglomeradas e sem máscaras. Isso não pode acontecer. Em um dos campos do Aero, chegamos a fechar e algumas pessoas arrebentaram o cadeado. Não estamos de férias. É importante ficarmos em casa e só sair em caso de necessidade, usando máscaras”, disse o prefeito.

Entre os eixos de monitoramento do avanço do coronavírus, que são condicionantes para atividades econômicas permanecerem abertas, a cidade ultrapassou um: o de aumento de casos suspeitos acima de 5%. Nesta terça, o aumento foi de 6%.

“Caso amanhã (quarta-feira, dia 20) tenha aumento também acima de 5% dos casos suspeitos, teremos, conforme decisão judicial, que fechar as atividades econômicas por sete dias. Só conseguimos a liberação das atividades econômicas por conta desses eixos de monitoramento e não podemos ultrapassá-los”, ressaltou Samuca.

Também entres os eixos de monitoramento estão: a ocupação de leitos no CTI não ultrapassar 50% (estando com 31% de ocupação hoje). A ocupação de leitos no Hospital de Campanha não ultrapassar 60% (permanecem em 5,26).

“Só conseguimos a liberação das atividades através de um critério técnico. Então precisamos ficar atentos a isso. Nosso foco é salvar vidas. Precisamos ter atenção redobrada, tendo em vista que estamos completando oito dias da reabertura do comércio e 15 dias das primeiras flexibilizações”, falou o prefeito.

Comentários