Moradores falam sobre os 66 anos de emancipação política de Volta Redonda

Depoimentos relatam a importância da cidade no cenário histórico do Brasil

Por O Dia

Depoimentos de moradores de Volta Redonda no aniversário da cidade
Depoimentos de moradores de Volta Redonda no aniversário da cidade -
Volta Redonda - Era 17 de julho de 1954, Volta Redonda confirmava seus passos rumo à construção de uma ‘rodovia cívica’ que não só marcou o desenvolvimento do país, mas também se revelava como um referencial histórico na política do Brasil. O Movimento Ética na Política (MEP) ouviu algumas pessoas nascidas no município.
Segundo as informações da coordenação do movimento foi impressionante a dimensão de identificação das pessoas com a cidade, aqueles e aquelas que fazem parte da segunda e terceira geração ‘ciclopolitana’, termo esse de referência do professor Antônio Carlos Santini aos nascidos em VR.
De acordo com o historiador, ex-coordenador do MEP e professor cofundador do Pré-Vestibular Cidadão, Luiz Henrique, 47 anos, a cidade tem uma importância na história do país.
"Falar de VR é lembrar que, embora não seja antiga como muitas no Brasil, possui uma história extremamente importante para o país. Seu pouco tempo de emancipação tem pautado fatos extremamente relevantes para o país. Formada por diversos imigrantes de diferentes estados, foi marco da industrialização de base nacional. Enfrentou forte repressão militar, mas também forte na resistência representada pelo Bispo D. Waldyr Calheiros. Foi área de Segurança Nacional", disse o professor.
No depoimento também existem referências à privatização da Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) e procedentes perdas e danos.
"Volta Redonda tem se reinventado, deixando sua vocação inicial, pois tem deixado de ser a cidade para a qual afluíam populações para uma cidade da qual as pessoas se mudam em busca de oportunidades e sobrevivência. Entretanto, as lutas sociais travadas no município têm permitido novas possibilidades para os jovens como a vinda das universidades e institutos federais. Enfim, Volta Redonda muito nova em sua história como município, mas muito antiga em processos históricos relevantes para o Brasil", declarou o historiador, Luiz Henrique.
Curva do Rio Paraíba do Sul, em Volta Redonda - Divulgação
O mestre em engenharia mecânica, atualmente atuando no Instituto Federal de Santa Catarina- Campus Criciúma, ex-professor no MEP, Márcio Antônio Paulo, 50 anos, também falou sobre a cidade.
"Parabéns VR! Tenho muito orgulho de ter passado pelo catecismo da Maria Perpétua, pela Escola Amaral Peixoto, pelo João XXIII, Colégio Estadual Rio de Jane, ETPC e, depois, pela UFF-VR. Desejo dias melhores e uma cidade mais justa para todos", falou Márcio Antônio.
Ainda deixou sem depoimento, a jovem estudante de jornalismo, que nasceu em BM, mas vive desde bebê em VR, Gabriela Batista de Souza Silva, 21 anos.
"Viver na cidade de Volta Redonda é um presente. Cidade maravilhosa e acolhedora, cidade onde cresci. Aproveito para pedir aos jovens que se interessem mais e se engajem por Volta Redonda, pois está em nossas mãos o destino da cidade para que se torne mais próspera e acolhedora", falou a jovem.
A adolescente A. B., 16 anos, artista e estudante do ensino médio também deixou seu recado.
"Desejo dias melhores para nossa cidade. Que haja mais oportunidade para todos. Parabéns VR", declarou a estudante.
O administrador de empresa, que sempre atuou nas áreas técnicas, inicialmente na CSN, atualmente na Petrobrás, residente em VR, Muricy Ribeiro Brito, 50 anos, declarou que a cidade é privilegiada pela sua localização.
"Costumo dizer aos amigos: VR possui uma localização megaprivilegiada, perto das grandes cidades como Rio, São Paulo e Belo Horizonte e, também, ao mesmo tempo, possui espaços vedes, serras, e um interior invejável. E tem mais, VR é uma mãezona. Acolhe e abriga gente de todos os lugares. VR tem o aço no sangue, mas também um coração de mãe. Parabéns à menina de 66 anos", comentou o administrador.
O MEP ainda ouviu o morador de rua há 20 anos, José Carlos, 56 anos.
"VR, no seu aniversário, eu espero que ela aprenda a respeitar os moradores de Rua. Te falo, se eu tivesse dinheiro tiraria meus amigos da rua. Sou um homem feliz por que tenho amigos como ele (disse tocando no ombro do colega de rua)", falou.
A cidadã de Volta Redonda, Sandra Rodrigues disse que é privilegiada por nascer no dia do aniversário da cidade e muito feliz por morar no município até hoje. Ela deixou uma palavra de esperança diante do cenário que todos enfrentam hoje por conta da pandemia.
"Em meio ao caos a palavra de ordem é esperança de dia melhores, o caos não dura para sempre, vai passar. Sairemos pessoas bem melhores do que antes. E teremos muito mais empatia para com os nossos semelhantes", declarou.
MEP conta a história geológica da curva do Rio neste sábado, dia 18.
Neste sábado, dia 18, às 15h30, a equipe ambiental do MEP vai organizar mais um encontro online de divulgação científica. Dessa vez será com o geólogo, volta-redondense, professor e pesquisador da USP, André Pires Negrão, que estudou a bacia geológica de Volta Redonda.
História geológica da curva do Rio será contada neste sábado, dia 18 - MEP-VR
A reunião foi marcada em referência ao aniversário da cidade (17 de julho), com o objetivo de popularizar a ciência e contar a história de formação das rochas da cidade e também da curva do Rio Paraíba do Sul.
Os participantes que quiserem poderão solicitar certificado como atividade curricular, basta realizar inscrição antecipada via e-mail projetopedreiravoldacvr@gmail.com. O encontro será através da plataforma Google Meet – https://meet.google.com/agf-nkno-uhz.

Galeria de Fotos

Depoimentos de moradores de Volta Redonda no aniversário da cidade MEP-VR
Curva do Rio Paraíba do Sul, em Volta Redonda Divulgação
História geológica da curva do Rio será contada neste sábado, dia 18 MEP-VR

Comentários