"Eu particularmente não tenho nada contra as Oss, mas tenho muito menos a favor", diz pré-candidato Alexandre Habibe

O pré-candidato pelo PCdoB participou nesta sexta-feira, dia 28, da live do O DIA

Por O Dia

Entrevista com o pré-candidato a prefeito de Volta Redonda, Alexandre Habibe do PCdoB
Entrevista com o pré-candidato a prefeito de Volta Redonda, Alexandre Habibe do PCdoB -
Volta Redonda - A série de lives promovida pelo jornal O DIA com os pré-candidatos à prefeitura de Volta Redonda recebeu nesta sexta-feira, dia 28, Alexandre Habibe do PCdoB. Entre os temas abordados, o pré-candidato falou sobre economia, segurança pública, saúde e geração de empregos. Comandaram a conversa, o colunista político do O DIA, Sidney Rezende e a repórter Denise Azevedo.
O pré-candidato pelo PCdoB, Alexandre Habibe falou sobre sua preocupação com a situação econômica do município. Segundo ele, caso não aconteça uma redução de gastos e uma revisão financeira a tendência é que as dívidas da prefeitura cheguem aos R$ 2 bilhões em curto prazo.
“Nós temos um desequilíbrio de contas em Volta Redonda há muitos anos. Não foi somente por conta da pandemia. E cada vez isso vai piorando porque o serviço da dívida vai aumentando. E não se faz nada para coibir o desequilíbrio. Volta Redonda tem que rever sua estrutura de custeio, mas com muita clareza”, disse.
Sobre empregabilidade e geração de empregos, o pré-candidato disse que é necessário ter um novo modelo, como montar um cinturão metalmecânico com ênfase tecnológica, um parque tecnológico para assentar empresas voltadas para o desenvolvimento e novos produtos.

“O caminho é esse. A estrutura e a construção desse caminho sedimentada em fundos municipais de apoio a tecnologia e mais uma reforma fiscal tributária que garanta a atração dessas empresas é fundamental. O que a gente está falando é de emprego e sustentabilidade. Sustentabilidade se dá pela sociedade empregada e essa sociedade só vai estar empregada se você tiver um cinturão bem acomodado nesse novo cenário de prática e modelo”, explicou.
Quando questionado sobre segurança pública, o pré-candidato disse que a polícia é fundamental e o que foi feito no passado é muito interessante no sentido de integrar as atividades da Polícia Civil, Polícia Militar e ainda a Guarda Municipal. Mas que é preciso caminhar para trabalhar a segurança como forma preventiva.
“Cada vez mais temos que se afastar de uma repressão que não tem controle e mais caminhar para inteligência, para vigilância para sim antecipar os movimentos da criminalidade. E só dessa forma que a agente pode garantir a segurança. Segurança não é só repressão. Segurança é antecipar movimentos e garantir os espaços públicos e mais do que isso vigiar não com o objetivo de punir, mas de evitar o crime”, afirmou.
O pré-candidato também comentou sobre o Projeto de Lei que dispõe sobre a jornada de trabalho dos enfermeiros, técnicos e auxiliares de enfermagem. A pauta é uma demanda antiga da categoria que reivindica a regulamentação da jornada de 30 horas semanais.
“Esse segmento é muito importante. Nada mais justo do que 30 horas para esta atividade que é perigosa, insalubre e os expõe a uma série de doenças não só físicas, mas também psicológicas”, falou Alexandre Habibe.
Ainda sobre saúde ele comentou sobre a gestão das Organizações Sociais nos hospitais públicos de Volta Redonda.
“Eu particularmente não tenho nada contra as Oss, mas tenho muito menos a favor. Porque quando a gente olha o São João Batista e também o hospital do Retiro que tem uma estrutura e organização eu me preocupo: porque não investir esses recursos diretamente nos hospitais? Nós temos uma secretaria de saúde. É melhor comprar mais ou comprar menos? Agora eu sou frontalmente contrário a pagar mais para a OS e ter o mesmo serviço. Particularmente temos que rever isso, até porque a todo o momento a gente vê a relação dos municípios, dos estados, com essas organizações, ultrapassa os limites da promiscuidade”, falou.

Comentários