Craques da Matemática na Eleva: desenvolvimento de softwares - Divulgação/Roberta Ribeiro
Craques da Matemática na Eleva: desenvolvimento de softwaresDivulgação/Roberta Ribeiro
Por Bernardo Costa

Rio - O mercado de trabalho passa por constantes transformações. No momento, fatores como os avanços tecnológicos, as reformas do governo federal e até mesmo a operação Lava Jato têm aberto amplo campo de trabalho para novas profissões. Não faltam vagas de trabalho nas áreas de Marketing Digital, Análise de Dados, Inteligência Artificial, Recursos Humanos, Consultoria, Desenvolvimento de Sistemas e Compliance. Pelo contrário, elas sobram, devido à carência de mão de obra qualificada. Não é raro as empresas buscarem profissionais nas salas de aula de cursos especializados.

"Em outros casos, as empresas estão criando escolas internas para preparar funcionários em áreas ligadas ao Business Intelligence, como Inteligência Artificial e Machine Learning (Aprendizado de Máquinas). Ou buscando profissionais fora do país", diz Célio Antunes, CEO e fundador da Impacta, que oferece cursos em Gestão, Design, Tecnologia da Informação e Mercado Digital.

As aulas de Big Data (Grande conjunto de dados armazenados) é um dos cursos mais procurados. "Quando cruzadas, a abundância de informações que as pessoas geram ao navegar na internet ou realizar uma compra com cartão de crédito, por exemplo, permitem que as empresas vislumbrem chances de negócios com precisão", analisa Antunes, que aponta uma outra área com grandes oportunidades: a Arquitetura da Informação. "São os profissionais que otimizam a navegação em sites, impedindo que as páginas demorem a responder. Designers e programadores são os que mais atuam nessa especialização", diz.

mídias digitais

Segundo o especialista, as atividades ligadas ao Business Intelligence são indicadas a profissionais formados em Processamento de Dados, Matemática, Física, Administração e Engenharia.

Para que qualquer tipo de negócio tenha sucesso, é necessário presença nas redes sociais. Isso vale para toda empresa. O Analista de Mídias Sociais é quem vai fazer o serviço. "Não se trata de postar apenas. É necessário se relacionar com os internautas, entendê-los, e desenvolver uma estratégia de marketing específica para cada rede", diz Luciana Salgado, consultora de Marketing Digital e professora da FGV.

Segundo Luciana, as eleições deste ano vão abrir campo para esse tipo de profissional: "Neste pleito, os candidatos darão mais importância às redes sociais do que nunca. E vão formar times de comunicação para movimentá-las. O profissional pode procurar os partidos e oferecer seus serviços ou mandar currículo para agências de comunicação".

Outra área promissora nas empresas é o setor de Compliance, que envolve um conjunto de regras e ações para garantir a legalidade dos negócios. A 'Lei Anticorrupção' e a operação Lava Jato evidenciaram a importância da categoria. "A prisão de altos executivos chamou atenção para o problema. Não só advogados podem se especializar no setor, mas também Psicólogos e funcionários de RH", diz Fábio Moreno, CEO da IComply.

Você pode gostar
Comentários