O programador Kleiton Albuquerque teve um aumento salarial no ano passado - Arquivo pessoal
O programador Kleiton Albuquerque teve um aumento salarial no ano passadoArquivo pessoal
Por Marina Cardoso

O programador Kleiton Albuquerque, de 33 anos, vai poder bancar um curso de qualificação e programar uma viagem graças ao aumento salarial que teve em 2017. A farmacêutica Kamila Bigonha, 28, já consegue traçar novas perspectivas para este ano. Eles fazem parte de um grupo de trabalhadores que se enquadram nas profissões que tiveram a maior alta salarial no ano passado no Estado do Rio. A Catho, empresa especializada em anúncio de vagas de trabalho, elaborou um ranking das dez ocupações com maior reajuste salarial, com uma variação entre 12,4% e 20,4% (veja no infográfico acima).

O instrutor de qualidade foi o profissional mais valorizado em 2017, de acordo com o levantamento, com média salarial de R$ 1.493 e crescimento de 20,4%. "Nós observamos detalhadamente essa profissão, pois foi um número bem específico, registrado apenas no Rio. Vimos que o segmento da indústria teve uma ligeira melhoria econômica. Isso explica o fato do aumento salarial para esse cargo, que tem a ocupação nesse ambiente", explica Luís Testa, gerente da Catho.

Outra profissão que apresentou crescimento salarial no ano passado foi a de programador. Um crescimento atribuído ao investimento das empresas no mundo digital. Com isso, os programadores que trabalham como engenheiros de software são cada vez mais solicitados pelo mercado de trabalho. A trajetória profissional de Kleiton, citado no começo da reportagem, reflete esse cenário. "Minha área está voltada para desenvolvimento de portais e sites na web e desenvolvimento de sistemas de informação. Sinto uma gratificação em ver esse crescimento", avalia.

A farmacêutica Kamila e o programador Kleiton estão entre os profissionais mais valorizados em 2017, segundo ranking - Divulgação

O farmacêutico ficou em terceiro lugar no ranking da Catho. A análise mostrou que a indústria farmacêutica não foi afetada pela crise devido ao crescimento de uma população cada vez mais velha. "O brasileiro está vivendo mais, investindo em qualidade de vida e procurando por produtos que fazem parte dessa indústria. Além disso, há uma expansão de unidades de drogaria para atender esse consumidor. Cresce a demanda por profissional e também o salário", observa Luís Testa.

Carreiras em alta em 2018

Algumas das profissões que tiveram aumento salarial no Rio no ano passado também devem manter a tendência de crescimento neste ano. Segundo um estudo da Catho com base na análise de dados da companhia, a empresa projeta um cenário ainda positivo para programadores e farmacêuticos, que estão entre as três profissões mais valorizadas em 2017. Os analistas de TI também devem ter crescimento salarial em 2018, de acordo com o estudo.

O profissional de Educação Física também estará em alta devido ao mercado fitness, que tem ganhado notoriedade no Brasil nos últimos anos. Profissionais de marketing digital também estarão em evidência por conta da migração do offline para o online e da necessidade das empresas estarem na internet para atingir seu público e vender mais.

O mercado de produtos orgânicos vem ganhando cada vez mais espaço na economia brasileira. Com isso, a Engenharia de Agronegócios ganhará espaço neste ano. O crescimento e visibilidade dessa área profissional se dará devido à necessidade de modernização do agronegócio para ajudar a aumentar a produção de alimentos e garantir a preservação de recursos naturais.

Você pode gostar
Comentários